22:16 19 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    913
    Nos siga no

    Relator do processo de impeachment da Presidente Dilma Rousseff na Comissão Especial da Câmara designada para apreciar a procedência do pedido, Jovair Arantes concedeu entrevista à Rádio Sputnik Brasil sobre as razões que o levam a disputar a sucessão do atual Presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ):

    "A razão de nossa candidatura à Presidência da Câmara é o fato de estarmos há 22 anos nesta casa, exercendo o sexto mandato de deputado federal. E, após ver anos a fio a Câmara definhando e constatar que ela vive o seu pior momento com a sociedade desde a redemocratização do país, entendemos que podemos contribuir para uma mudança efetiva do relacionamento da classe política com a sociedade brasileira. Com a experiência que temos e com a visão voltada para a necessidade de uma nova gestão da realidade legislativa, podemos dizer que reunimos condições para estar à frente da Câmara dos Deputados."

    O deputado Jovair Arantes também esclareceu declarações a ele atribuídas de que pretenderia recorrer ao Supremo Tribunal Federal caso o atual Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, vença a eleição:

    "Não há fundamento nestas notícias. Eu não vou ao Supremo Tribunal Federal em caso de uma possível vitória do Rodrigo Maia. Quem fez isso foi o Partido Solidariedade e o deputado federal André Figueiredo (PDT-CE). Eu não farei isso. Apenas manifestei meu entendimento que nós, legisladores, devemos ser os primeiros a cumprir a Constituição Federal. E a Constituição Federal (artigo 57, parágrafo 4º) proíbe no Poder Legislativo a recondução do parlamentar ao mesmo cargo na eleição subsequente."

    O deputado falou ainda sobre seus planos de campanha:

    "A minha principal plataforma é devolver a Câmara ao que ela se propõe, ou seja, que ela seja o para-choque de todas as necessidades da sociedade brasileira e que dê respostas à sociedade da forma como ela espera, e não ficar em conflito com a sociedade como ela está hoje. É uma tarefa muito difícil e, para fazer isso, é preciso ter muita coragem. Vamos então aproveitar estes dias de campanha até a eleição para conversar com os eleitores, que são os deputados, para definir de que forma faremos as mudanças tão necessárias e tão aguardadas pela sociedade."       

    Mais:

    Após queda de braço com Governo, Câmara aprova renegociação de dívidas dos estados
    Poucas mulheres e corte de gastos marcam próxima gestão da Câmara do Rio
    Tags:
    constituição, política, Presidência da Câmara, eleição, Câmara dos Deputados, Supremo Tribunal Federal (STF), PDT, André Figueiredo, Rodrigo Maia, Jovair Arantes, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar