02:05 25 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Brunno e Maria Elisabete em cada ponta e os futuros youtubers mostram que alegria é fundamental durante o curso

    Produtores culturais ensinam em curso como ser um youtuber de sucesso

    Divulgação/Humanize Produções
    Brasil
    URL curta
    0 22

    Cada vez mais crianças, jovens, adultos e idosos do Brasil e do mundo se lançam em canais na internet em assuntos diversos em busca da fama e de ganhar dinheiro como os famosos youtubers, que estão brilhando atualmente nesse mercado.

    Porém, existem algumas regras que devem ser seguidas para entrar no universo audiovisual da web e assim conseguir fazer disso uma profissão bem sucedida. Essa é a ideia do curso que vem fazendo sucesso, em São Paulo criado pelos Produtores Culturais Maria Elisabete Pereira e Brunno Ogibowski.

    Em entrevista exclusiva para a Sputnik, Brunno Ogibowski alerta que ser um youtuber virou uma febre no Brasil, mas não basta apenas achar que ter um celular com câmera vai fazer de você um astro da internet. É preciso prestar atenção aos detalhes para fazer a diferença na web.

    "É uma febre e estamos antenados para tentar fornecer um pouco de ferramentas, porque quando começamos a fazer esse curso com as pessoas, elas tem geralmente essa ideia mesmo de que agora tenho o meu celular, que tem câmera digital, que registra o áudio e vídeo em boa qualidade, então, agora eu já posso ser um youtuber. Claro que pode, com certeza, mas tem uma série de coisas que é preciso entender. Nós trabalhamos principalmente com dicas."

    Brunno explicou que o curso ministrado por ele e Maria Elisabete não tem uma faixa etária específica, atendendo do leigo até aqueles que já criaram um canal na internet. "Nós não temos um limite de idade no curso. Trabalhamos com pessoas desde os mais novos que estão fissurados no mundo de games e que tem toda essa gama também do youtuber que trabalha com essa área, até pessoas da terceira idade. É um curso que trabalha com todas as gerações para fornecer um pouco mais de ferramentas técnicas para os youtubers que já executam os próprios canais deles e também para envolver pessoas que nunca tiveram contato com a área do audiovisual em uma experiência de como é produzir um vídeo, elaborar um roteiro, como é ter uma ideia e pesquisar a respeito dessa ideia."

    Um de costas para o outro, Brunno (de blusa cinza) e Maria Elisabete (de blusa preta)  fazem uma pausa no curso para posar com os alunos
    Divulgação/Humanize Produções
    Um de costas para o outro, Brunno (de blusa cinza) e Maria Elisabete (de blusa preta) fazem uma pausa no curso para posar com os alunos

    O produtor cultural ressalta que nem sempre seguir a ideia do Cinema Novo, de Glauber Rocha de ter uma câmera na mão e uma ideia na cabeça vai dar tão certo assim se não souber aproveitar os atuais recursos tecnológicos, que podem fazer a diferença em um conteúdo que vire sucesso. "Nós partimos do princípio que é muito legal pegar a ideia do Glauber Rocha, do Cinema Novo, de termos uma câmera na mão e uma ideia na cabeça e sair gravando, isso é ótimo, mas precisamos ter um pouco mais de técnica ajuda, além de falar das transformações que estão acontecendo na tecnologia e pegar coisas que estão bastante virais no momento. No último curso, nós fizemos um Mannequin Challenge, por exemplo, trabalhar com essas coisas que vão fazer com que o teu vídeo tenha mais visualizações, ou que ele tenha mais possibilidade de seguidores."

    Os alunos fazem o Mannequin Challenge, ficar imóvel enquanto a câmera faz um passeio na cena
    Divulgação/Humanize Produções
    Os alunos fazem o Mannequin Challenge, ficar imóvel enquanto a câmera faz um passeio na cena

    Brunno também desmistifica para os futuros youtubers a ideia de que basta abrir um canal, postar vídeos e vai ficar rico, pois a história não é bem assim. Todos os atuais youtubers brasileiros como Whindersson Nunes e Kéfera Buchmann  tiveram muito trabalho até começarem a receber os louros de uma boa produção audiovisual na web.

    "Não é bem assim mesmo. Nós tentamos desmistificar essa questão de que é preciso ter um estúdio de televisão para produzir vídeos, mas também desmistificar essa questão de que eu vou ter meu celular e a partir de agora vou poder ter milhões de reais caindo na minha conta, porque eu vou ter milhões de seguidores, isso não é uma realidade para todos."

    Outro ponto importante para se tornar um youtuber é pensar de forma segmentada no tipo de assunto que vai abordar em seus vídeos. "Hoje em dia há espaço para todo mundo, porque o conteúdo que consumimos cada vez mais na internet é segmentado. Eu posso ter um canal de gastronomia, mas de gastronomia específica vegetariana ou vegana. Eu trabalho com uma questão de nichos que a internet possibilita isso, e é o que possibilita essa nova geração querer cada vez mais se expor, mostrar a cara e dizer o que pensa", disse o produtor cultural.

    Para quem quiser entrar no mundo dos youtubers, Brunno dá ainda mais uma dica de que no Brasil o humor é um dos assuntos preferidos consumidos na web pelos brasileiros.

    "O humor é uma coisa que funciona muito. Nós gostamos muito de consumir um conteúdo onde podemos dar risadas e automaticamente compartilha isso virtualmente ou seja para as pessoas que estão ao redor na sua mesa ou em uma roda de amigos. O celular passa a ser uma coisa também inclusiva dessa forma e o humor traz essa aproximação com o público também. Faz bastante sucesso no Brasil talvez pelo nosso perfil de ser bem humorado, mas sem generalizar isso funciona bem, assim como a ascensão do mercado de gastronomia está muito em voga, com as pessoas cada vez mais cozinhando em casa e interessadas em produzir o próprio alimento."

    Acompanhe um pouco do trabalho dos produtores no vídeo abaixo:

    Tags:
    web, audiovisual, youtuber, gastronomia, humor, curso, canal, Humanize Produções, Maria Elisabete Pereira, Brunno Ogibowski, São Paulo, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik