05:29 26 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    420
    Nos siga no

    Após os episódios de truculência policial e pancadaria que assolaram o Centro do Rio na semana passada, manifestantes realizam novo ato nesta segunda-feira (12) contra o chamado pacote de maldades do governo estadual.

    Cerca de 700 policiais militares fazem um cerco em torno da manifestação, nas ruas que dão acesso ao Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), onde os deputados fariam a votação das medidas de austeridade. 

    O ato foi marcado para esta segunda para coincidir com a votação de quatro medidas polêmicas, mas na última sexta (9), o presidente da Casa, Jorge Picciani (PMDB), anunciou a transferência das votações para a quarta (14).

    Tropa de choque da PM faz cerco à manifestação em frente à Alerj - 12 de dezembro de 2016
    © Sputnik / Gabriella Lange
    Tropa de choque da PM faz cerco à manifestação em frente à Alerj - 12 de dezembro de 2016

    De acordo com a assessoria de imprensa da Alerj, "a mudança no calendário foi uma decisão da presidência da Casa, para que haja mais tempo para negociar as propostas". No entanto, os servidores e outros manifestantes contrários ao pacote afirmam que a alteração teve como objetivo esvaziar o ato desta segunda.

    "Tudo se encaminha para uma tragédia. Os verdadeiros vagabundos estão dentro da Alerj. A mudança no calendário foi para esvaziar o movimento. Nosso medo agora é que haja uma votação extraordinária, como aconteceu com o caso do Bilhete Único", disse o inspetor Paulo Ferreira, do Sindicato do Sistema Penitenciário do Rio, citado pelo Estadão.

    PM com flores dadas por manifestantes em ato na Alerj - 12 de dezembro de 2016
    © Sputnik / Gabriella Lange
    PM com flores dadas por manifestantes em ato na Alerj - 12 de dezembro de 2016

    Os policiais – muitos com flores brancas dadas pelos manifestantes, em sinal de paz, enfeitando seus escudos e capacetes – revistam bolsas e mochilas dos passantes em busca de objetos que possam ser usados como armas. Na semana passada, as ruas em frente à Alerj viraram cenário de guerra após exibições de truculência da PM. 

    Mais:

    Alerj adia votação sobre bilhete único, mas aprova alguns projetos do pacote fiscal
    Exclusivo: Freixo culpa 'pacote horroroso' do governo do Rio por guerra em frente à Alerj
    Chuva de bombas contra trabalhadores ajoelhados em ato na Alerj
    Ato vira cenário de guerra na porta da Alerj (VÍDEO)
    Alerj começa votar medidas de austeridade do Governo do Rio contra crise
    Tags:
    polícia, votação, austeridade, pacote de maldades, servidores, manifestação, ato, PM, ALERJ, Pezão, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar