07:55 21 Janeiro 2019
Ouvir Rádio
    • Multidão enfrenta repressão da polícia em frente à Alerj - 06/12/2016
    • Manifestante ferido por bomba jogada pela polícia - Alerj, 06/12/2016
    • Manifestantes se ajoelham para pedir fim da repressão policial - Alerj, 06/12/2016
    • Polícia lança bombas enquanto manifestantes se ajoelham para mostrar que não querem violência
    • Manifestantes cobrem o rosto em meio a nuvens de gás de pimenta em frente à Alerj - 06/12/2016
    • Polícia lança bombas de gás contra manifestantes e jornalistas - 06/12/2016
    • Ato em frente à Alerj reprimido pela polícia - 06/12/2016
    • Cenário de guerra em frente à Alerj
    • Ruas em frente à Alerj são tomadas por nuvens de gás de pimenta
    • Regimento de polícia montada - 06/12/2016
    • Alerj - 06/12/2016
    © Sputnik / Gabriella Lange
    Multidão enfrenta repressão da polícia em frente à Alerj - 06/12/2016

    Um ato organizado nesta terça-feira (6) por sindicatos e servidores em frente à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) foi violentamente reprimido pela polícia com gás de pimenta, tiros e bombas. Os trabalhadores lutam contra o Pacote de Medidas de austeridade lançado pelo Governo do Rio para combater a crise financeira no estado.

    A Força Nacional e a cavalaria da Polícia Militar foram colocadas a postos na entrada da Alerj para reprimir o ato, que acontece enquanto os deputados votam o projeto dentro da casa legislativa, no centro do Rio.

    Os trabalhadores lutam contra a suspensão no reajuste salarial, que já tinha sido concedido, o aumento da contribuição dos aposentados, o desconto de 30% dos vencimentos de inativos para garantir o caixa da Previdência do Rio, o corte de gratificações pagas aos servidores comissionados, a extinção de secretarias e outros órgãos públicos e o fim de programas sociais, como o Aluguel Social e o Renda Melhor.

    Mais:

    Ato vira cenário de guerra na porta da Alerj (VÍDEO)
    Alerj começa votar medidas de austeridade do Governo do Rio contra crise
    Protesto na Alerj critica corte de Programas Sociais no Rio
    Tags:
    austeridade, crise, direitos, aposentados, Previdência Social, Renda Melhor, Aluguel Social, reajuste salarial, pacote, tiros, pimenta, gás lacrimogêneo, bombas, fotos, repressão, polícia, trabalhadores, servidores, manifestação, ato, Força Nacional, PM, ALERJ, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Pezão, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik

    Mais fotos

    • O filho mais velho de Jair Bolsonaro, então deputado estadual do Rio de Janeiro, Flávio Bolsonaro, concede entrevista aos jornalistas em frente ao Hospital Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora.
      Last update: 01:35 21.01.2019
      01:35 21.01.2019

      Flávio Bolsonaro diz que depósitos fracionados são de venda de imóvel

      O senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) afirmou durante duas entrevistas exibidas na noite deste domingo (20) que o pagamento de R$ 1 milhão de um título bancário da Caixa Econômica é referente a um apartamento que ele comprou na planta.

    • Bandeira da União Europeia
      Last update: 22:43 20.01.2019
      22:43 20.01.2019

      Brasil será ligado à Europa por novo cabo submarino

      O Brasil e a Europa vão ser interligados por um novo cabo submarino de fibra ótica com capacidade de 40 terabytes (TB) por segundo, o que vai facilitar as comunicações telefônicas e de imagens entre diferentes pontos do território brasileiro e o continente europeu.

    • O vice-presidente Hamilton Mourão.
      Last update: 18:54 20.01.2019
      18:54 20.01.2019

      'Flávio Bolsonaro não tem nada a ver com o governo', diz Mourão

      A investigação envolvendo transferências de dinheiro para a conta do filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL) não está relacionada ao governo, disse o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) em entrevista à Reuters neste domingo (20).

    • Ex-assessor de Bolsonaro, Fabrício Queiroz
      Last update: 17:23 20.01.2019
      17:23 20.01.2019

      Queiroz movimentou R$ 7 milhões em 3 anos, diz jornal

      Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), movimentou R$ 7 milhões entre 2014 e 2017. A informação foi levantada pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e divulgada pelo jornal O Globo neste domingo (21).