02:10 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima

    Oposição e governistas divergem sobre investigação de Geddel

    Marcelo Camargo/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    616301

    Deputados da oposição protocolaram junto a Procuradoria-Geral da República uma representação pedindo que o Ministério Público investigue se o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima cometeu crimes ao procurar o ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero para falar sobre o embargo da obra de um prédio de luxo, em Salvador.

    Segundo Calero, Geddel possui um apartamento no empreendimento.

    Nesta segunda-feira (21), a Comissão de Ética Pública da Presidência da República abriu investigação sobre o comportamento de Geddel Vieira Lima.

    Marcelo Calero denunciou que pediu demissão da pasta da Cultura, porque estava sofrendo pressão do ministro Geddel Vieira Lima, para liberar a obra, que foi suspensa pelo IPHAN, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

    De acordo com o líder do PT na Câmara, deputado Afonso Florence, a oposição quer saber se o ministro usou o cargo para tirar vantagem em benefício próprio e se usou sua função para defender interesses de terceiros.

    "O problema é o uso da administração pública para interesses privados, pessoais e a pressão política. São fatos que devem ser investigados e é mais um ministro do governo Temer."

    Já o líder do governo na Câmara, deputado André Moura, do PSC, disse que o assunto já está superado e não vai atrapalhar a tramitação das medidas na Casa. "Essa questão, é uma questão superada, mesmo porque o ministro Geddel já deu todas as explicações cabíveis e necessárias. Recebeu durante todos esses dias a solidariedade de inúmeros e centenas de parlamentares que compõe a nossa base." 

    O presidente da Câmara, Rodrigo Maia também demonstrou apoio ao ministro Geddel, afirmando que as explicações do ministro foram suficientes.

    "É claro que o tráfico de influência não é bom. Eu sei que não aconteceu. O Geddel já explicou. Até porque o parecer indeferido (do ministério da Cultura) não foi refeito. A decisão foi respeitada. Continuamos contando com o ministro Geddel para aprovar matérias de interesse do governo que são importantes para o país”.

    O ministro Geddel reconhece que tratou sobre o tema com o ex-ministro da Cultura, mas negou que o tenha pressionado para que autorizasse a obra.

     

    Tags:
    corrupção, abuso de autoridade, investigação, governistas, oposição, Procuradoria-Geral da república, Comissão de ética da presidência da República, Afonso Florence, André Moura, Rodrigo Maia, Marcelo Calero, Geddel Vieira Lima, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik