14:47 18 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente Michel Temer

    Temer critica ocupações nas escolas e garante orçamento para saúde e educação

    Beto Barata/PR
    Brasil
    URL curta
    524
    Nos siga no

    O presidente Michel Temer criticou durante discurso para empresários nesta terça-feira (8), em evento da Confederação Nacional da Indústria, em Brasília as ocupações de instituições de ensino no país contra a PEC do teto de gastos públicos.

    Durante o Seminário 'Infraestrutura e Desenvolvimento do Brasil', Temer lamentou, ao fazer referência à ocupação estudantil de escolas, que as ações são uma falta de respeito às instituições. O presidente criticou que 'argumento intelectual' hoje foi substituído pelo 'argumento físico'.

    "Hoje ao invés do argumento oral, do argumento intelectual, usa-se o argumento físico. A pessoal vai e ocupa não sei o que, bota pneu velho e queima na estrada para impedir trânsito. É um argumento físico,  mesmo agora na Proposta de Emenda Constitucional do Ensino Médio, que é uma coisa que se fala há muito tempo."

    Ainda no discurso durante seminário sobre infraestrutura Temer garantiu que a PEC do teto de gastos não vai limitar os investimentos em saúde e educação, ressaltando que o governo até aumentou os repasses para os setores na proposta de orçamento para 2017. "Todos concluímos que é preciso começar cortando na carne, portanto limitar os gastos do poder público. Há o fundamento — equivocado e talvez não verdadeiro — de que isto vai prejudicar setores importantíssimos do país, que dizem respeito basicamente aos direitos sociais, como saúde e educação. Foi organizado um orçamento para 2017 aplicando a PEC do teto dos gastos públicos como se ela já tivesse sido aprovada e ao fazê-lo, nós aumentamos as verbas para saúde e educação."

    O presidente voltou a falar que o poder público precisa da iniciativa privada para a retomada do crescimento da economia.  Com o apoio do empresariado, Temer disse que o governo vai desmontar, o que chamou de 'ciclo perverso' se referindo à crise financeira no país. Para Temer, a expectativa é a de que no 2º semestre de 2017, o país retome as oportunidades de emprego.

    O presidente da Confederação da Indústria, Robson Andrade, aproveitou o encontro para dar seu apoio sobre a PEC do teto de gastos, que é  uma forma de melhorar a confiança dos investidores na economia brasileira, porém, ressaltou a necessidade do governo em resolver problemas de infraestrutura, como o atraso nas obras, que acabam atingindo os consumidores.

    "Um dos problemas mais sérios da agenda de infraestrutura no Brasil é o atraso das obras. Em algumas das maiores obras de infraestrutura no país o atraso alcança vário anos. Os prejuízos daí decorrentes afetam consumidores e empresas, consomem vultuosos recursos públicos e comprometem o desenvolvimento."

    O governo federal anunciou esta semana, que vai  investir R$ 2 bilhões para retomar 1600 obras que estão paralisadas em 1.071 municípios brasileiros. A previsão do Executivo é a de que os empreendimentos gerem cerca de 45 mil empregos com a reativação dos canteiros de obras.

     

     

     

     

    Tags:
    PEC 55, escolas, ocupação, críticas, orçamento, saúde, educação, Michel Temer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar