14:45 13 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Ação da PF na Polícia Legislativa do Senado

    STF determina volta ao trabalho de policiais do Senado presos pela PF

    José Cruz/ Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    310

    O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki determinou que os quatro policiais legislativos que foram presos na semana passada na Operação Métis, da Polícia Federal retomem normalmente as suas funções públicas no Senado.

    Os policiais, que já foram libertados, foram acusados de atrapalhar as investigações da Lava Jato, na realização de varreduras e eliminação de escutas autorizadas pela Justiça, em residências de senadores.

    Na última quinta-feira (27), o ministro suspendeu os efeitos da Operação da Polícia Federal e remeteu o processo da 10ª Vara Federal de Brasília para o STF, acatando um pedido da defesa de um dos policiais presos,  Antonio Tavares de anular o inquérito.

    Atendendo ao Senado,  Teori Zavascki entendeu que a sua decisão que suspendeu os efeitos da Operação permite que os servidores voltem ao trabalho.

    Conforme despacho assinado pelo ministro do STF, os policiais legislativos, incluindo o chefe da Polícia do Senado, Pedro Ricardo Araújo de Carvalho poderão voltar as atividades a partir de segunda-feira (31).

    "Suspensos os procedimentos e os atos que lhes deram causa, o retorno dos policiais legislativos afastados ao exercício regular de suas funções é  consequência natural e imediata." 

    Já quanto ao pedido do Senado Federal sobre a devolução dos equipamentos apreendidos pela Operação Métis, Teori disse não tem como devolver o material e pediu que o Ministério Público se manifeste sobre a solicitação da Advocacia-Geral do Senado. "Todavia, o mesmo não se pode dizer da devolução dos objetos apreendidos, que se acham vinculados ao inquérito de origem."

     

    Tags:
    trabalho, volta, policiais legislativos, Operação Métis, Polícia Federal - PF, Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik