20:48 21 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Os Três Poderes se reúnem para discutir pacto nacional para segurança

    Após reunião de Pacto Nacional de Segurança, Calheiros elogia presidente do STF

    Carlos Humberto/SCO/STF
    Brasil
    URL curta
    404

    Depois de quatro horas de reunião para discutir um Plano Nacional de Segurança Pública, o presidente Michel Temer afirmou que os três Poderes estão em harmonia.

    O encontro no Palácio do Itamaraty, nesta sexta-feira (28), parece ter colocado fim ao mal-estar entre o presidente do Senado, Renan Calheiros e a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, que passaram a semana se alfinetando após as críticas feitas por Calheiros de excessos cometidos na operação Métis da Polícia Federal no Senado, que resultou na prisão de quatro policiais legislativos, acusados de atrapalhar as investigações da Lava Jato, beneficiando senadores investigados. "Clima de harmonia absoluta e de responsabilidade. Todos nós voltados para esse tema (segurança), que preocupa o Estado brasileiro", garantiu o presidente.

    Renan Calheiros também fez questão de demostrar que  a paz foi selada, elogiando a ministra Cármen Lúcia, ao dizer que a presidente do STF é um exemplo de caráter.

    "A reunião foi muito boa, produtiva, precisa ser repetida. Eu praticamente não falei, aproveitei a oportunidade para dizer que eu tenho muito orgulho, que vou levar para minha vida de ser presidente do Congresso Nacional no exato momento em que a presidente Cármen Lúcia é presidente o Supremo Tribunal Federal. Ela é sem dúvida nenhuma o exemplo do caráter que nós precismos, que identifica o povo brasileiro."

    Sobre as ações que envolvem os três Poderes e o Ministério Público apresentadas para melhorar a segurança pública nacional estão incluídas a previsão de mais investimentos para a construção de penitenciárias, a compra de equipamentos e reforço nas polícias.

    A ministra Cármen Lúcia propôs ainda a criação de uma base de dados para unificar as informações sobre a realidade criminal no Brasil. 

    Já Renan Calheiros sugeriu a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), com o objetivo de investigar a participação do crime organizado no financiamento de campanhas eleitorais no país.

    O Ministro da Defesa, Raul Jungmann falou sobre a proposta de aumentar a integração entre estados e municípios. O procurador Geral da República, Rodrigo Janot, defendeu que o Brasil faça valer os acordos internacionais para punir criminosos no âmbito do Mercosul. 

    Ainda foi debatido na reunião, a necessidade de se reduzir os assassinatos de policiais e, ao mesmo tempo, de homicídios que venham a ser cometidos por esses profissionais.

    O  plano agora vai ser apresentado aos governadores, aos prefeitos e aos secretários estaduais de segurança pública, como desdobramento da reunião ocorrida nesta sexta-feira (28), no Palácio do Itamaraty.

     

     

    Tags:
    policiais, homicídios, tráfico de armas, tráfico de drogas, combate, Mercosul, Pacto Nacional de Segurança, Supremo Tribunal Federal (STF), Senado Federal, Michel Temer, Cármen Lúcia, Renan Calheiros, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik