18:48 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Governo do Rio suspende pagamentos a fornecedores e prestadores de serviços e funcionários ficam sem salário

    Governo do Rio suspende pagamentos a fornecedores e prestadores de serviços

    Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas
    Brasil
    URL curta
    114

    O Governo do Rio publicou decreto nesta quinta-feira (6) suspendendo o pagamento a prestadores de serviços e fornecedores, deixando por consequência funcionários sem receber. A medida oficializa os atrasos nos pagamentos aos fornecedores, que já vem acontecendo desde o início de 2015.

    Com a decisão, que visa conter os gastos do governo,  ficam suspensas, por um período de 30 dias, novas liberações para empenho das despesas para o desenvolvimento das atividades administrativas dos órgãos do estado, o que engloba as despesas de custeio previsíveis.

    A medida, no entanto, não vai ser aplicada nos contratos com as secretarias de Educação, segurança, Administração Penitenciária, Saúde e Defesa Civil,  Corpo de Bombeiros e órgãos vinculados, além de instituições que atuam em funções essenciais à Justiça.

    O decreto ressalta, que os empenhos que já possuem ordem de pagamento, estes serão quitados. A medida vale apenas para novos empenhos.

    Também fica estabelecida a devolução, em 60 dias, de servidores cedidos de outros órgãos da federação e municípios, com exceção daqueles que ocupam cargos estratégicos, o que segundo o Governo do Rio, vai devolver ao cofres estaduais uma economia de R$ 13 milhões ao ano, já que o Estado não vai ter que ressarcir seus vencimentos aos órgãos  de origem. Além disso, as medidas vedam nomeações para cargos comissionados vagos e novas operações de crédito.

    "Desde o início do ano passado, o Estado vem buscando equacionar o déficit financeiro, por meio de medidas de ajuste para reduzir despesas e reconstituir receitas, que vêm caindo drasticamente. A crise é de difícil solução e afeta também outros estados," afirmou o secretário estadual de Fazenda, Gustavo Barbosa.

    Segundo cálculos do governo fluminense as medidas estabelecidas no decreto vão gerar uma economia de R$ 186 milhões.

    Após os 30 dias de suspensão dos pagamentos, as secretarias de Fazenda e de Planejamento e Gestão vão apresentar um estudo para definir se esse prazo de restrição aos pagamentos será ou não prorrogado.

    De acordo com a Secretaria Estadual de Fazenda, com o decreto, o governo do Rio pretende reenquadrar a dívida do Estado aos limites estabelecidos na Lei de Responsabilidade Fiscal, que determina que a dívida consolidada líquida corresponda a até 200% da receita corrente líquida. Com uma dívida de R$ 98,5 bilhões, o Rio de Janeiro ultrapassou o limite de 1,94%, o que diz respeito a uma diferença de R$ 945 milhões.

    Nesta quinta-feira (6), o Congresso Nacional também converteu em lei a Medida Provisória, editada em junho, liberando R$ 2,9 bilhões de recursos da União para que o Rio pudesse investir em ações de segurança pública durante os Jogos Olimpícos e Paralímpicos.

    Tags:
    salário, trabalhadores, prestadores de serviço, fornecedores, pagamento, suspender, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik