15:48 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Ministro da Defesa, Raul Jungmann

    Militares vão ficar de fora da Reforma da Previdência

    Antonio Cruz/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    1933

    O Ministro da Defesa Raul Jungmann disse nesta quinta-feira (29), que os militares deverão ficar de fora das novas regras para a aposentadoria, que estarão presentes na Reforma da Previdência.

    Segundo Jungmann, as mudanças são necessárias para garantir a sustentabilidade do sistema previdenciário, mas o ministro ressaltou, que é justo os militares seguirem um regime diferenciado dos demais contribuintes, pois em relação aos servidores públicos civis, eles não podem fazer greves, se sindicalizar, não possuem hora extra e precisam ter dedicação exclusiva.

    "Há uma singularidade no papel das Forças Armadas, e elas representam de fato algo que é um encargo da União, porque, por exemplo, o militar não faz greve, não tem hora extra, o militar não sindicaliza, não pode ter outro emprego. O militar trabalha, como agora, durante as Olimpíadas, às vezes, 12, 14, 16 horas. O militar expõe a vida. De fato não é privilégio, é o reconhecimento da singularidade."

    Ainda de acordo com Raul Jungmann, o fato dos militares serem poupados na Reforma da Previdência não significa que eles não vão contribuir com a Reforma. "Eu chamo atenção para uma coisa: (a diferenciação para militares) não quer dizer que a Defesa e que as Forças Armadas não vão contribuir com a reforma. Não queremos e recusamos privilégios. Vamos contribuir e vamos dar a nossa parte. Apenas defendemos nossa especificidade."

    Mais:

    Governo nega impor Reforma da Previdência goela abaixo e promete discussão em outubro
    Tags:
    aposentadoria, reforma da previdência, Ministério da Defesa, Forças Armadas do Brasil, Raul Jungmann, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik