08:24 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Michel Temer durante cerimônia de anúncio de novas ações de gestão para a melhoria da saúde pública

    Saúde libera R$ 1 bi para melhorar atendimento em UPAs, santas casas e compra de remédios

    Marcos Corrêa/PR
    Brasil
    URL curta
    111

    O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta-feira (14) a liberação de R$ 1 bilhão que serão redistribuídos e usados no custeio de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), e na oferta novos serviços nas santas casas e nos hospitais filantrópicos do país, além de investimento na compra de medicamentos e em tecnologias mais modernas no setor.

    Segundo o Ministro da Saúde, Ricardo Barros, o valor é resultado da revisão de contratos e economia com aluguéis e outros serviços.

    "Extinguimos 335 cargos comissionados de livre nomeação, mais outros cargos, que são de funções gratificadas. Nós economizamos R$ 50 milhões em renegociações de contratos, reduzimos contratos na área de informática, utilizando softwares do Portal de Software Público e deixando de desenvolver os mesmos que já estavam desenvolvidos, R$ 80 milhões por ano. E fizemos um esforço maior na renegociação de preços nos laboratórios. Na medida em que os laboratórios percebem que o governo está cumprindo os seus compromissos, pagando em dia, podem vender mais barato, não embutem no preço um eventual atraso no recebimento."

    Com os recursos, vão ser investidos R$ 182 MILHÕES por ano em 99 Upas, que estavam funcionando sem verba do governo federal. R$ 227 milhões vão ser aplicados no incentivo à produção nacional de vacina contra meningite. Já R$ 222 milhões vão ser usados na compra de  7,5 a mais de medicamentos. 216 Santas Casas e entidades filantrópicas de saúde vão receber R$ 372 milhões por ano, para apresentar 1400 novos serviços de saúde.

    Em tempos de crise na saúde em vários estados brasileiros, o presidente da Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas, Edson Rogatti, destacou em discurso que a verba vai abrir caminho para dar continuidade ao atendimento da população.

    "Essa liberação será capaz de nos dar um fôlego, para que possamos manter o atendimento à população."

    Lembrando que o governo federal já tinha desbloqueado mais de R$ 6 bilhões para o Sistema Único de Saúde (SUS), o presidente Michel Temer ressaltou em discurso que para garantir o atendimento à população é preciso ter responsabilidade com os gastos públicos.

    "Sem uma política fiscal responsável a saúde não tem  viabilidade financeira. Esse é o nosso compromisso, assegurar mais recursos  a serem aplicados em uma gestão mais eficiente. E assegurar uma gestão mais eficiente, que gerará mais recursos. Um ciclo virtuoso que une a responsabilidade no uso de bens público e uma saúde pública de maior qualidade."

    Temer ainda falou sobre as metas de orçamento para 2017. De acordo com o governo, a proposta  já leva em consideração o teto para os gastos públicos. O presidente destacou, que o Poder Executivo aumentou a previsão de recursos para a saúde acima do mínimo constitucional, e para o ano que vem a proposta de orçamento prevê R$ 115 bilhões para o setor da saúde, R$ 1,7 bilhões a mais do que o piso definido na Constituição.


    Tags:
    liberação, recursos, investimentos, saúde, Ministério da Saúde, Ricardo Barros, Michel Temer, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik