19:09 18 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Michel Temer na cerimônia de ratificação do Acordo Paris sobre o clima

    Ao ratificar Acordo de Paris, Temer destaca atuação do Brasil desde a Eco 92 e a Rio+20

    Beto Barata/PR
    Brasil
    URL curta
    313
    Nos siga no

    O presidente Michel Temer ratificou nesta segunda-feira (12), o Acordo de Paris, que vai substituir o atual Protocolo de Kyoto sobre o clima. O ato confirma oficialmente a participação do Brasil no esforço conjunto de 197 países para diminuir o aquecimento global.

    O Brasil se comprometeu a reduzir a emissão de gases do efeito estufa em 37%, até 2025, podendo chegar a 43% até 2030, em comparação com os níveis de 2005. Os países que assinaram o Acordo prometem ainda  trabalhar para limitar o aquecimento global a 1,5º C em relação aos níveis do período pré-industrial.  

    Em cerimônia no Palácio do Planalto, Michel Temer ressaltou em discurso que a questão climática, não é apenas uma questão de um governo ou outro governo. Esta é uma questão de Estado.  Temer afirmou que está ratificando e seguindo com o trabalho que começou no passado com a realização da Eco 92 e a Rio + 20, que revelaram ao mundo a preocupação do Brasil com o meio ambiente.

    "A preocupação do nosso país com o meio ambiente. Os vários chefes de Estado e de Governo, que vieram para cá na Eco 92 e depois na Rio + 20, verificaram, olharam e voltaram para seus países dizendo, o Brasil  não só estabelece na sua legislação estruturante, que é a Constituição, a preservação, a conservação  e a luta pelo meio ambiente, como também executa aquilo que está previsto no texto constitucional. Com isso eu quero significar, que o Brasil ao longo do tempo colaborou muitíssimo para a questão do meio ambiente. É claro que esses exemplos que estou mencionando revelam a dimensão do Brasil aos olhos internacionais. Quando nós assinamos, ratificamos o Tratado de Paris que vamos depositar agora, precisamente no dia 19, entre o dia 19 e 20, junto ao secretário geral da ONU, Ban Ki-moon. Nós estamos, na verdade, seguindo na trilha que o Brasil já começou lá atrás."

    Também presente à cerimônia, o Ministro do Ambiente, Sarney Filho destacou em discurso, que a mudança do clima é o maior desafio global do século, mas também uma oportunidade para reorientar o projeto de desenvolvimento econômico sustentável do Brasil.

    "Temos consciência de que um novo projeto de desenvolvimento, que coloque o país no rumo certo da economia limpa de baixa emissões gerará empregos qualificados e disseminará uma cultura de respeito e integração ao meio ambiente. Esse projeto que precisa ser encampado por toda a sociedade, como um verdadeiro projeto nacional, deverá dar plena atenção aos direitos humanos, e em particular, aos direitos dos trabalhadores de setores afetados pelas políticas e ações, a eles relacionadas. Terá também em devida consideração as questões de gênero, e a abertura e a participação  de toda a sociedade. Sabemos que o preço de nada fazer em relação à mudança do clima seria muito alto para todos, especialmente os mais desassistidos. São justamente os mais pobres que mais sofrerão se não agirmos com uma visão integrada, ambiental, econômica e social para enfrentar com denodo esse grave problema."

    Para que o pacto entre em vigor ele precisa ser ratificado por, pelo menos, 55 países, que somem 55% das emissões globais, ou seja, transformar o Acordo do clima em lei nacionais. Até agora, 27 países responsáveis por quase 40% das emissões globais assinaram o Acordo.

    Tags:
    ratificação, Acordo de Paris, COP21, Sarney Filho, Michel Temer, Brasil, Brasília
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar