03:48 24 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Ministro do Turismo, Alberto Alves, participa da coletiva

    Lei de Inclusão entra em vigor em 2018 e Brasil investe em ações de turismo acessível

    Paulino Menezes
    Brasil
    URL curta
    0 23201

    Com foco na Lei de Inclusão, que entra em vigor em 2018, o Ministério do Turismo quer ampliar o turismo acessível no Brasil. Várias ações voltadas para a promoção da acessibilidade em atrativos e estabelecimentos turísticos estão sendo criadas, como o Guia Turismo Acessível, ferramenta de avaliação de acessibilidade de pontos turísticos.

    De acordo com o ministro interino do Turismo, Alberto Alves é preciso melhorar o atendimento às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, facilitando a viajem desse público pelo país.

    "A abertura dos Jogos Paralímpicos de 2016, mostrou ontem (7) mais uma vez a capacidade que o Brasil tem para realizar grandes eventos. Emocionamos o mundo e atingimos o nosso objetivo de aprofundar o debate e transformar em ações concretas em prol das pessoas com deficiência. Acessibilidade é um tema, para nós do Ministério do Turismo, não poderia ser diferente, é de fundamental importância. Nós trabalhamos hoje em três direções, que é sensibilização da cadeia turística, a informação para pessoa com deficiência e melhoria da infraestrutura."

    Para Alberto Alves, o turismo faz parte das discussões econômicas do governo, pois cada vez mais o setor é considerado como um agente criador de emprego e renda.

    "O Turismo hoje é parte das discussões econômicas do governo. Estamos trabalhando fortemente para que de fato o turismo, seja considerado um agente econômico modificador, criador de emprego e renda, e acima de tudo acabar com as diferenças regionais e sociais que existe."

    Através do Guia Turismo Acessível, o visitante além de poder cadastrar, consultar e avaliar estabelecimentos, como restaurantes, bares, hotéis, lojas, shoppings, atrativos históricos, parques, zoológicos, eventos, cinemas, serviços turísticos e atividades de lazer, também pode obter informações sobre os direitos da pessoa com deficiência e orientações para o setor turístico, além de legislações, normas e cartilhas com dicas de como se deve receber a pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida.

    A Coordenadora-Geral de Turismo Responsável, do Ministério do Turismo,  Isabel Barnasque explicou, que com as opiniões dos viajantes será possível deixar o Guia cada vez mais completo, facilitando a vida dessas pessoas na hora de viajar. 

    Isabel Barnasque chama atenção ainda sobre o respeito a Lei de Inclusão, que entra em vigor em Janeiro de 2018 e vai obrigar a modernização e a adequação do setor do Turismo no Brasil.

    "A Lei de Inclusão de certa forma vai obrigar a essa mudança de cultura, meio que na marra, mas não vai ter jeito. A partir de janeiro de 2018, os estabelecimentos têm que estar acessíveis, mas não temos dúvidas de que tem muito o que avançar. Estamos trabalhando nesse sentido de se reunir com esses empresários, de tentar sensibilizá-los, de mostrar, que além de uma responsabilidade social, isso traz um diferencial competitivo para eles. Eu acho que isso é importante, a nossa atividade é uma atividade econômica, então é bem nesse sentido."

    O Guia Turismo Acessível conta com uma versão em aplicativo disponível nas  versões em Inglês e Espanhol, lançada em maio, para facilitar os turistas que vieram ao país para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. 

    Segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). cerca de 45 milhões de brasileiros apresentam algum tipo de deficiência, o que corresponde à 23,9% da população do país. 


    Tags:
    mobilidade reduzida, deficientes, Guia Turismo Acessível, acessibilidade, lei da inclusão, Ministério do Turismo, Isabel Barnasque, Alberto Alves, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik