17:16 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    311
    Nos siga no

    Apesar de ter um prazo de 30 dias para sair da residência oficial, em Brasília, depois de decisão do Senado que aprovou o impeachment e decretou a perda do mandato, a ex-presidenta Dilma Rousseff deixa nesta terça-feira (6) o Palácio da Alvorada. Dilma seguirá durante a tarde para Porto Alegre, no sul do país, onde mora a família da ex-presidenta.

    Caminhões-baú chegaram ao Palácio da Alvorada na manhã desta terça-feira (6) para retirar os pertences de Dilma.

    Ao chegar em Porto Alegre, a ex-presidenta deverá ser recebida por um grande ato organizado pelo ex-ministro Miguel Rossetto. Dilma também deve ser recebida por ex-governadores como Tarso Genro e Olívio Dutra, além do presidente estadual do PT, Ary Vanazzi e integrantes de movimentos sociais.

    Apesar de ir para Porto Alegre, a ex-presidente já anunciou que vai se dividir entre a capital gaúcha e o Rio de Janeiro, onde sua mãe reside.

    A partir de agora como ex-presidenta, Dilma Rousseff não mais receberá salário, mas terá direito a oito servidores, sendo dois assessores, quatro seguranças e dois motoristas, além de dois carros. As despesas vão ser custeadas pela Casa Civil com recursos do Tesouro Nacional.

    Os benefícios dados à Dilma, são os mesmos recebidos pelos ex-presidentes José Sarney,  Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Collor de Mello, que só teve essas garantias após ser absolvido em um processo no Supremo Tribunal Federal.

    Antes da Constituição de 1988, conforme lei aprovada durante o regime militar, os ex-presidentes tinham direito a aposentadoria vitalícia.

    Tags:
    deixa, Palácio da Alvorada, Dilma Rousseff, Porto Alegre, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar