11:45 18 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Janaína Paschoal, advogada da acusação no processo de impeachment de Dilma Rousseff

    Momentos do impeachment nas redes sociais: choro, flores e Chico Buarque

    Edilson Rodrigues/Agência Senado
    Brasil
    URL curta
    19105418

    O julgamento do impeachment terminou nesta quarta-feira, 31, com a perda do mandato de Dilma Rousseff como presidenta do Brasil. O processo que parou o país foi marcado nas redes por repercussões destacáveis do que se passou no Congresso Nacional ao longo dos últimos dias, antes da decisão sobre o futuro da agora ex-chefe de Estado.

    A presença do célebre cantor, compositor e escritor Chico Buarque agitou o Senado Federal. O artista, que foi lá prestar apoio a Dilma e seus colegas, foi tietado de todos os lados. Mas também provocou reações adversas entre os mais implacáveis defensores da saída da petista.

    Lágrimas. Na defesa e no ataque, os advogados José Eduardo Cardozo e Janaína Paschoal não conseguiram segurar o choro durante os seus discursos no julgamento de Dilma. Apesar do momento de emoção, houve quem desconfiasse da sinceridade dos dois. O monopólio do choro virou nas redes mais um motivo de disputas políticas.

    Depois das lágrimas, as flores. Após o seu discurso favorável ao impeachment de Dilma Rousseff, a advogada da acusação foi homenageada com flores pelas senadoras Ana Amélia e Marta Suplicy. A cena, considerada patética por uns e comovente por outros, também dividiu opiniões nas redes.

    Mais:

    Sindicalistas querem opinar sobre reformas trabalhistas e previdenciárias de Temer
    PSOL: Saída de Dilma vai iniciar grande retrocesso de direitos sociais
    Michel Temer toma posse definitiva na presidência da República
    'Brasil agora vai priorizar Estados Unidos e Europa, e não os vizinhos sul-americanos'
    Dilma se manifesta após impeachment reforçando discurso de golpe
    Tags:
    Senado Federal, Marta Suplicy, Ana Amélia, Chico Buarque, Janaína Paschoal, José Eduardo Cardozo, Dilma Rousseff, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik