16:45 21 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Janaína Paschoal, coautora do pedido de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff

    Acusação abre mão do tempo de réplica para acelerar processo do impeachment

    Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/Fotos Públicas
    Brasil
    URL curta
    Impeachment no Senado (104)
    111212

    A advogada de acusação Janaína Paschoal decidiu não fazer a réplica às argumentações apresentadas pelo advogado da defesa, José Eduardo Cardozo, que fica sem direito ao tempo que teria de tréplica. O objetivo da acusação é acelerar o processo.

    A inscrição para a discussão do processo de impeachment foi feita por 66 dos 81 senadores, sendo que cada um tem direito a dez minutos de fala. A previsão é de que a sessão dure mais de dez horas. 

    Depois da maratona de debates, que pode entrar pela madrugada de quarta (31), acontece finalmente a votação final do processo de impeachment, que será aberta, nominal e feita pelo painel eletrônico. 

    Se 54 senadores ou mais votarem a favor do processo, a presidenta será definitivamente afastada e ficará inelegível por oito anos a partir do fim de 2018, quando se encerraria o seu mandato conquistado em 2014 com mais de 54 milhões de votos. Caso contrário, o processo será arquivado e Dilma reassumirá a Presidência da República.

    Tema:
    Impeachment no Senado (104)

    Mais:

    Impeachment: TCU diz que análise de processo foi técnica e imparcial
    Manifestantes protestam contra impeachment no Ceará
    Protestos contra impeachment bloqueiam ruas em São Paulo
    Impeachment: Acusação e defesa de Dilma se enfrentam no Senado antes da votação final
    Tags:
    impeachment, acusação, Senado, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik