00:39 15 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Dilma faz discurso durante defesa no Senado

    Impeachment: Dilma comparece ao Senado para sessão de depoimento

    Imagem Marcelo Camargo/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    35124

    O dia de hoje (29) marca um dos momentos mais aguardados do processo de impeachment contra a presidente afastada, Dilma Rousseff (PT). Neste quarto dia de julgamento, que deverá ser o mais longo de todos, Dilma prestará depoimento diante de senadores para se defender das acusações de ter cometido crime de responsabilidade em 2015.

    Ela responde ao processo de impeachment, sob a alegação de ter editado em 2015 decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso e também de usar dinheiro de bancos federais em programas do Tesouro [as chamadas pedaladas fiscais]. A petista foi afastada da presidência da República pelo Senado há mais de 100 dias.

    A movimentação no Senado é grande! Até às 8h30 da manhã, 47 senadores já estavam inscritos para questioná-la. Cada um terá cinco minutos e Dilma terá tempo livre para as respostas.

    Antes de responder, a petista irá dispor de 30 minutos para sua defesa, mas, segundo o presidente da sessão do julgamento, ministro Ricardo Lewandowski, este tempo poderá ser prorrogado de acordo com a necessidade da petista.

    Ordenar as mensagens
    • 23:49

      Ricardo Lewandowski encerra a sessão. A reunião será retomada amanhã, às 10 horas, para discussão final entre os senadores.

    • 23:44

      Presidenta Dilma Rousseff faz considerações finais.

    • 23:19

      Presidenta Dilma responderá as perguntas da acusação, na pessoa de Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal.

      À advogada de acusação, Janaína Paschoal, a presidente afastada nega que a crise econômica tenha começado em 2014. Segundo Dilma Rousseff, apenas intensificou-se de forma abrupta. Ela atribui a piora da crise à politização.

    • 23:17

      A presidenta afastada Dilma Rousseff ouviu o senador Paulo Rocha (PT-PA), o último parlamentar a lhe dirigir a palavra na sessão.

    • 23:04

      (Vídeo) Depois de questionar a presidente afastada Dilma Rousseff, o senador Telmário Mota (PDT-RR) disse que sua pergunta ajudou a esclarecer com quem ela governará, caso seja absolvida.

      “Ela vai buscar novos parceiros. Por isso perguntei se ela vai governar com a parte boa do PMDB. E ela disse que vai governar com todos aqueles que são partes boas. Esse é um grande indício de que amanhã nós podemos continuar acreditando que ela tem que voltar.”

    • 23:01

      A presidente afastada Dilma Rousseff disse ao senador Sérgio Petecão (PSD-AC) que se for condenada no processo de impeachment, haverá um golpe de estado, pois não há crime de responsabilidade.

    • 22:27
      Dilma Candelaria

      Movimentos sociais planejam intensificar mobilizações nas ruas de todo o país

      Enquanto a presidente Dilma Rousseff apresentava no Senado nesta segunda-feira, 29, sua defesa no processo de impeachment, milhares de manifestantes promoviam mobilizações no Distrito Federal e em mais seis estados contra as políticas econômicas e sociais do governo do presidente interino Michel Temer.
      Mostrar mais
    • 22:27

      Cristovam Buarque (PPS-DF) pergunta a Dilma Rousseff sobre que qualidades de Michel Temer a levaram a escolhê-lo como vice-presidente por duas vezes. Dilma disse que supunha que Temer era do "centro democrático" do PMDB.

    • 21:56

      O senador Telmário Mota (PDT-RR) atribuiu o processo contra a presidente afastada aos interesses contrariados do PMDB.

    • 21:38

      Ricardo Lewandowski disse há pouco que faltam dez parlamentares inscritos para interrogar Dilma Rousseff.

    • 21:03

      (Vídeo) Em resposta a Humberto Costa, Dilma afirma que 'governabilidade vai passar pela repactuação do pais'

    • 20:52

      Em resposta ao senador Reguffe (sem partido-DF), a presidenta eleita e afastada Dilma Rousseff nega ter desrespeitado a Constituição ao assinar os decretos de crédito suplementar sem prévia autorização do Congresso.

    • 20:30

      Galeria de fotos: manifestação contra impeachment no Rio de Janeiro

      Manifestantes se concentram na Candelária para ato contra o impeachment

      Manifestação contra o impeachment de Dilma Rousseff no Rio de Janeiro

      Milhares de manifestantes se reuniram hoje no Rio de Janeiro para protestar contra o impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff e o governo do presidente interino Michel Temer. Segundo os organizadores informaram à Sputnik, mais de 10 mil pessoas participam do ato neste momento.
      Mostrar mais
    • 20:29

      O senador Hélio José (PMDB-DF) anuncia mudança de opinião e diz que vota contra o impeachment a partir do compromisso da presidente afastada Dilma Rousseff em favor dos direitos trabalhistas.

    • 19:58

      A presidenta afastada Dilma Rousseff confirmou, ao senador Humberto Costa (PT-PE), seu apoio a um plebiscito para realização de eleições diretas. Ambos questionam a legitimidade e o programa do governo interino.

    • 19:55
      Manifestação contra o impeachment no Rio de Janeiro

      Cidades brasileiras têm manifestações contra o impeachment

      Movimentos sociais e sindicatos convocaram para esta segunda-feira uma série de atos contra o impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff em todo o Brasil. Os manifestantes protestam contra o que afirmam ser um golpe de Estado promovido pelo presidente interino Michel Temer e seus aliados.
      Mostrar mais
    • 19:39
      O presidente em Exercício Michel Temer, recebe os atletas olímpicos no palacio do planalto

      Dilma responde a senadores e Temer diz que acompanha tranquilo

      Depois de acompanhar do Palácio do Jaburu o discurso de defesa de Dilma Rousseff no Senado, o presidente interino Michel Temer recebeu nesta segunda-feira (29) os atletas brasileiros que participaram dos Jogos Olímpicos Rio 2016.
      Mostrar mais
    • 19:29

      Fátima Bezerra (PT-RN) demonstra solidariedade à presidenta afastada

    • 19:27

      Cunha se manifesta nas redes

    • 19:20

      Dilma diz que sofreu chantagens e ataca a mídia

    • 19:09

      Senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) pede esclarecimentos a Dilma

    • 19:04

      Sessão é reaberta pelo ministro Lewandowski

    • 18:45
      MST Dilma

      Trabalhadores do campo prometem mobilização contra perda de direitos

      O pronunciamento da presidente Dilma Rousseff nesta segunda-feira, 29, no Senado, na etapa derradeira do processo de impechment dividiu opiniões. Para os aliados da presidente afastada, foi histórico, enquanto para os seus críticos não trouxe qualquer dado novo que possa reverter o voto dos senadores.
      Mostrar mais
    • 18:30

      Internautas destacam coragem de Dilma e comparam com covardia de Temer

    • 18:19
      Ana Amélia x Gleisi Hoffmann

      Ana Amélia quer que Gleisi responda no Conselho de Ética por desqualificar senadores

      A Senadora Ana Amélia (PP-RS) entrou com uma representação no Conselho de Ética contra a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) para que ela explique a declaração que fez de que os senadores não têm moral para participar do processo do impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff.
      Mostrar mais
    • 17:59

      Sessão é suspensa pelo ministro Lewandowski

      A sessão extraordinária desta segunda-feira tem o seu segundo intervalo previsto. Os trabalhos serão retomados às 19h.

    • 17:53

      Lindbergh afirma que a elite brasileira deseja a saída de Dilma

      "É um golpe de classe".

    • 17:48

      Lindbergh Farias (PT-RJ) diz que Dilma é uma mulher admirável

      Parlamentar exibiu foto da presidenta e afirmou que há um tribunal de exceção no Senado. Segundo Lindbergh, Cunha e Temer são os principais articuladores do golpe.

    • 17:40

      Senador diz que não há golpe

      Segundo Álvaro Dias, o povo brasileiro quer mudança, quer o fim da corrupção e do modelo de governança de Dilma Rousseff.

    • 17:37

      Álvaro Dias (PV-PR) fala agora

    • 17:32

      Senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) questiona a presidenta Dilma Rousseff

      "Não tenho perguntas a fazer, porque são tantas", disse o parlamentar, após fazer perguntas sobre o uso do Fies, que, segundo ele, foi utilizado apenas para ganhar eleições. De acordo com Ataídes, Dilma deixou uma "herança maldita" para Michel Temer.

    • 17:29
      Chico Buarque de Holanda e Lula na sessão do impeachment no senado

      'Após o impeachment, o PT terá de se reinventar'

      O cientista político Antônio Marcelo Jackson, professor do Departamento de Educação e Tecnologias da Universidade Federal de Ouro Preto, MG, não tem dúvidas: "Passado o processo de impeachment e com vistas às eleições gerais de 2018, o PT terá de se reinventar."
      Mostrar mais
    • 17:19

      "Não me condene antes da hora", diz Dilma

      Presidenta diz lamentar que Aníbal não cumpra corretamente o seu papel de julgador.

      "Acho que é uma falha profunda do devido processo legal um julgador, na hora em que uma testemunha está depondo, externe o seu julgamento".

    • 17:17

      José Aníbal (PSDB-SP) acusa Dilma de fugir das responsabilidades

    • 17:10
      Dilma apoio

      Movimentos peruanos e argentinos demonstram solidariedade à presidente Dilma Rousseff

      No dia em que a presidente Dilma Rousseff foi ao Senado se defender das acusações que sofre no processo de impechment, milhares de manifestantes foram às ruas nesta segunda-feira, 29, no Distrito Federal e em cinco estados criticar o governo interino do presidente Michel Temer e condenarem o que chamam de golpe de estado.
      Mostrar mais
    • 17:05

      Paulo Paim (PT-RS) destaca história pessoal e política de Dilma

      "A maioria sabe aqui nesse plenário que a senhora é inocente", afirmou o senador.

    • 16:56

    • 16:53

      Senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) diz que é uma grande tristeza o julgamento de Dilma

      Parlamentar diz que algozes da presidenta a torturam politicamente. Segundo ela, Dilma foi vítima de conspiração, desconstrução da mídia e golpe.

    • 16:48

      Dilma: abertura de impeachment rompeu pacto democrático

    • 16:47

      Senador Gurgacz quer saber como Dilma reconstruirá governabilidade se inocentada

    • 16:44

      Acir Gurgacz (PDT-RO) questiona a presidenta

    • 16:43
      Julgamento do impeachment de Dilma Rousseff

      Senadores pró e contra impeachment repercutem discurso de defesa de Dilma

      Logo após o término do discurso de defesa da presidente afastada Dilma Rousseff no Plenário, as falas repercutiram de imediato entre os senadores. A oposição acha que o discurso de Dilma em nada vai mudar os votos dos senadores favoráveis ao impeachment. Já os senadores que são contra acreditam que o discurso foi forte e pode influenciar indecisos.
      Mostrar mais
    • 16:38

      Não será a primeira vez na história que se condenam inocentes

      Disse a presidenta Dilma, sobre a suposta injustiça do seu impeachment.

    • 16:24

      Senador Armando Monteiro (PTB-PE) diz que o governo Dilma não teve culpa por crise econômica

    • 16:00

      Dilma: "Não gosto de mostrar tabelas, porque sempre me acusaram de gostar de PowerPoint, mas vou mostrar"

      Dilma Rousseff se defende no Senado
      YouTube/TV Senado
    • 15:57

      "A vida é dura, senador", diz Dilma a Cássio Cunha Lima, dizendo que não se pode adulterar os fatos

    • 15:52

      Dilma responde Cássio Cunha Lima

      "Não concordo com o senhor que esse processo de impeachment veio das ruas de forma espontânea. Ninguém é ingênuo de não saber quem é o responsável por esse processo. Então vou lembrar ao senhor: (...) a aceitação do meu pedido de impeachment tratava-se de uma chantagem explícita do (ex-presidente da Câmara) Eduardo Cunha, com o qual os senhores infelizmente se aliaram", rebate a presidenta.

    • 15:48

      Senador Cássio Cunha Lima: "Golpe é vencer uma eleição mentindo a um país, é quebrar a Petrobrás e é fazer terrorismo com os mais pobres"

    • 15:42
      Dilma Rousseff em ato popular em Aracaju

      Cientista político Leonardo Paz: “Sorte de Dilma está decidida”

      “A sorte da Presidente Dilma Rousseff está decidida e, a não ser que aconteça algo de extraordinário, ela já pode se considerar impedida”. A opinião é do cientista político Leonardo Paz.
      Mostrar mais
    • 15:40

      Senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) insiste que não houve crime por parte de Dilma

    • 15:40

      Sessão pode entrar pela madrugada

      Nos bastidores, a expectativa é a de que a sessão de hoje termine muito tarde. Segundo fontes, há a possibilidade de que os trabalhos sejam suspensos e retomados pela manhã.

    • 15:35

      Ativistas convocam para atos nas redes sociais

    • 15:31

      "A metodologia não é minha. É do Bacen, e foi aplicada pelos governos anteriores", diz a presidenta

    • 15:27

      Dilma responde citando contingência

    • 15:22

      Senadora Lúcia Vânia (PSB-GO) questiona Dilma sobre decretos

    • 15:19

      "Ninguém disse que não poderíamos fazer o que fizemos"

      Presidenta afastada insiste que não há crime de responsabilidade.

    • 15:17

      Dilma explica Lei Orçamentária para Malta

    • 15:12
      Dilma em discurso na Tribuna

      Dilma Rousseff se defende e pede que senadores digam não ao impeachment e sim à Democracia

      Em um discurso que levou 45 minutos, a presidenta afastada Dilma Rousseff fez no plenário do Senado nesta segunda-feira (29) a defesa do seu mandato no processo de impeachment. Dilma destacou a necessidade da preservação da Democracia e que uma eventual cassação abre precedente a futuros governantes.
      Mostrar mais
    • 15:10

      Magno Malta (PR-ES) questiona Dilma

    • 15:02

      Dilma cita papel de Eduardo Cunha no golpe

      Para a presidenta, a participação de Cunha na presidência da Câmara dos Deputados foi extremamente danosa.

    • 14:57

      Lídice diz que golpe é contra a democracia

      Segundo a parlamentar, Dilma não será a única vítima no caso de um impeachment. Senadora teme consequências das políticas adotadas pelo governo interino.

    • 14:54

      Quem fala agora é a senadora Lídice da Mata (PSB-BA)

    • 14:52

      Presidenta fala de política externa

      Dilma cita respeito nas relações internacionais e destaca apoio de africanos, asiáticos e sul-americanos.

    • 14:50

    • 14:39

      Ronaldo Caiado (DEM-GO) questiona a presidenta

    • 14:37

      'Não podemos aceitar a política do quanto pior, melhor'

      Dilma Rousseff criticou tentativas da oposição de impedir a saída do Brasil da crise para derrubar seu governo.

    • 14:28

      Presidenta explica processo de crise econômica e política

    • 14:19

      Dilma responde a Aécio

      Presidenta afastada fala sobre as eleições de 2014, na qual derrotou o senador do PSDB. Segundo Dilma, após sua reeleição, ela e o governo como um todo foram vítimas de inúmeras tentativas de desestabilização.

    • 14:14

      Sessão é retomada

      O senador Aécio Neves (PSDB-MG) fala agora. Parlamentar questiona a presidenta sobre problemas econômicos.

    • 13:09

      Senador Aécio Neves será o primeiro a fazer perguntas às 14h

    • 13:03

      Lewandowski suspende sessão. Perguntas de senadores serão retomadas às 14h

      O ministro elogiou a "objetividade" e o "alto nível" da sessão pela manhã.

    • 13:00

      Dilma volta a ressaltar que a abertura de créditos suplementares era permitida por Lei

      "Na questão dos bancos [pedalada], o próprio relatório da Câmara reconheceu que eu não participei".

    • 12:58

      Enquanto mulheres fazem manifestação contra o golpe do lado de fora do Senado, área reservada para manifestantes pró-impeachment está às moscas:

      Manifestantes favoráveis a Dilma protestam em Brasília
      José Cruz/Agencia Brasil

    • 12:54

      Dilma cita artigos da Constituição para argumentar acusações apresentadas contra ela

    • 12:48

      Senador Lasier Martins (PDT-RS) assume palavra para questionar Dilma

      Senador perguntou se Dilma foi alertada que era irregular os procedimentos de que é acusada.

    • 12:46
    • 12:45

      Paulo Bauer diz que diferente de outros governos, que praticaram “pedaladas” entre os meses de dezembro e janeiro, o Governo Dilma “permitiu que a conta se acumulasse por vários meses".

    • 12:42

      Temer fica no Jaburu para acompanhar defesa de Dilma

      O presidente interino Michel Temer não teve agenda na manhã de hoje (29) no Palácio do Planalto. Ele está no Palácio do Jaburu, onde acompanha o depoimento da presidenta afastada Dilma Rousseff, durante o julgamento final do processo de impeachment.

    • 12:40

      Senador Paulo Bauer (PSDB-SC) questiona a presidenta

    • 12:35

      Dilma cita fatores internacionais da crise e volta a afirmar que não faz sentido atribuir a crise a "três decretos"

      A presidente alegou que seu governo fez uma política de ampliação do crédito, financiando empresas e diminuindo o impacto da redução da atividade econômica.

    • 12:29

      Senador José Medeiros (PSD-MT) assume palavra e rebate tese de que estejamos diante de um golpe

      "O que estamos vendo aqui não é um golpe. É a democracia em ebulição".

      "Qualquer Governo é sustentado no tripé: base popular, apoio político e que a economia funcione bem".

    • 12:27

      Dilma faz metáfora com "árvore da democracia" para explicar diferença entre golpe militar e golpe parlamentar:

      No primeiro caso, derruba-se a árvore com um machado; no segundo, a árvore é tomada por parasitas.

    • 12:22

      Dilma responde e volta a afirmar: "Se me julgarem sem crime de responsabilidade é golpe"

      "Estou aqui argumentando, dizendo: senhores senadores, por favor, não cometam o crime de condenar uma inocente”.

      "É um golpe integral. Não recorro ao Supremo porque não esgotei essa instância, os senhores senadores não votaram. Vim aqui porque respeito essa instituição".

    • 12:22

      Senador acusa Dilma de ‘falsear a história sobre a natureza do processo que estamos vivendo’

      Aloysio afirmou a legalidade do processo de impeachment e destacou que o país vive um momento de "paz e tranquilidade".

    • 12:17

      Confira os atos "Contra o Golpe, Fora Temer e Nenhum Direito a Menos" marcados para esta segunda-feira (29) em cada capital:

      DF – 17h - Em frente ao Congresso

      RS - Porto Alegre – 17h Largo Gênio Peres

      CE- Fortaleza – 9h Praça do Ferreira

      RN – Natal - 17h em frente ao IFRN central

      SP – São Paulo -17h Praça do Ciclista

      RJ – Rio de Janeiro - 17h Candelária

      BA – Salvador – 9h Em frente ao Iguatemi

      ES – Vitória – 16h Casa Porto

      PB – Campina Grande – 8h – Praça da Bandeira

      AM – Manaus – 17h – Largo São Sebastião

      CE – Fortaleza 8h – Praça do Ferreira

      PA – Belém – 17h – Mercado de São Brás

    • 12:15

      Senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) questiona Dilma no Senado

      “Como golpe? Golpe com a supervisão do Supremo Tribunal Federal?”.

    • 12:13

      Hashtag #DilmaÉInocente está em alta no Twitter

    • 12:12
    • 12:09

      Dilma: "Vocês estão criminalizando a política fiscal"

      "Reitero que a meta fiscal é aprovada pelo Congresso" – diz Dilma.

      "Tem uma Lei que a senhora [senadora Simone Tebet] votou que diz que o Executivo pode abrir créditos suplementares compatíveis com a obtenção da meta primária" – lembra.

    • 12:05

      Mulheres fazem ato em apoio à Dilma

    • 12:04

      DIlma inicia resposta à senadora Simone Tebet

    • 12:02

      Senadora Simone Tebet (PMDB-MS) questiona Dilma – “Se a senhora pudesse voltar no tempo, faria alguma coisa em relação à sua política fiscal?”

      "Se a Sra. for absolvida e voltar à presidência, o que a Sra. fará para recuperar o equilíbrio das contas públicas?".

    • 12:00
    • 11:59

      EXCLUSIVO: Cientista político Antônio Marcelo Jackson, da UFOP (Universidade Federal de Ouro Preto) faz previsão sobre julgamento em entrevista à Sputnik

      “Por tudo que observamos nestes meses, sabemos que os senadores já revelaram seus votos. O que está em causa, na realidade, é a ausência de uma base parlamentar [do Governo da Presidente Dilma Rousseff]. Só um milagre, agora, impediria o impeachment.”

    • 11:56

      Dilma explica que governo não desrespeitou o Legislativo e a lei e lembra que decretos emitidos em julho e agosto, enquanto o TCU só mudou sua interpretação sobre os decretos em outubro.

      "Não está prevista a intervenção do presidente da República no plano Safra. Foi assim com Itamar. Foi assim com FHC. Foi assim com Lula. E foi assim no meu Governo".

    • 11:52

      Dilma diz que a Lei Orçamentária Anual de 2015 permitia a abertura de créditos suplementares

    • 11:49

      #PelaDemocracia é assunto mais comentado do Twitter

    • 11:48

      Enquanto isso, manifestações contra o impeachment acontecem em 4 estados e no Distrito Federal

    • 11:45

      Dilma inicia resposta ao questionamento do senado Antonio Anastasia

      Dilma diz que discorda que a Constituição proíbe a abertura de créditos suplementares.

    • 11:41

      Senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), relator do processo contra Dilma na Comissão Especial do Impeachment, assume a palavra.

      Anastasia questiona Dilma sobre decretos de créditos suplementares e afirma que abrir crédito por decreto, sem autorização legislativa, é crime.

      o senador também questionou Dilma sobre a subvenção do Plano Safra e sobre se havia ou não prazo para os pagamentos.

    • 11:40

      Dilma respode: "É um golpe de estado em novas vestimentas, chamado de golpe parlamentar".

    • 11:30

      Senador Roberto Requião (PMDB-PR) questiona Dilma, afirma que não houve crime e faz duras críticas ao governo interino de Michel Temer

      O senador permaneceu desde o início ao lado da presidenta e faz parte da ala mais progressista do PMDB.
      "Não estamos julgando a presidenta, que não cometeu crime algum. Estamos comparando duas propostas distintas de Governo".

      "Algum senador do meu partido no exercício do ministério do seu governo contestou alguma de suas medidas?"

    • 11:23

      Dilma responde ao senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES): "O que esse Senado precisa é provar que houve crime de responsabilidade"

      O senador listou os crimes de responsabilidade e terminou a fala com a pergunta: "Vossa excelência tem algum arrependimento?"

      Dilma voltou a afirmar que o próprio Ministério Público Federal julgou não ter havido prática das chamadas "pedaladas fiscais”.

    • 11:14

      Dilma conclui resposta à senadora Ana Amélia: "Há que provar que tem crime. Se não provar, é golpe sim!"

    • 11:12

      "Aqueles que não gostam que o nome seja ‘golpe’, querem encobrir um fato", diz Dilma.

    • 11:09

      Dilma responde a pergunta da senadora Ana Amélia

      Dilma ressalta que "toda literatura política" indica tratar-se de um golpe de estado parlamentar.

      "O que tem acontecido no que eles chamam de golpe parlamentar é o fato de você tirar um presidente sem que houvesse crime de responsabilidade que sustente".

    • 11:08

      Senadora Ana Amélia diz que "os fatos arrolados no libelo acusatório tiveram consequências sociais".

      "Por que a sua excelência autorizou as dívidas junto aos bancos fiscais?" – pergunta a senadora do PP.

    • 11:03

      Senadora Ana Amélia (PP-RS) é a segunda senadora a questionar Dilma

    • 11:00

      Dilma reassume palavra e expõe a contribuição da agricultura familiar à segurança alimentar do país em réplica à fala de Kátia Abreu

    • 10:56

      Senadora Kátia Abreu diz que não fará nenhuma pergunta a Dilma, pedindo apenas que a presidenta “fale sobre o ataque político” que está sofrendo

      Kátia Abreu, ex-ministra da Agricultura do Governo de Dilma e uma das maiores defensoras da presidenta afastada, apesar de ser do mesmo partido do presidente interino.

    • 10:53

      Dilma divulga na íntegra seu discurso no Senado

    • 10:51

      Senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) é a primeira a apresentar questões a Dilma.

    • 10:50

      Lewandowski abre o interrogatório da presidenta

    • 10:48

      Lewandowski pede perguntas "objetivas" aos senadores e lembra que eles não são acusadores, mas sim juízes.

    • 10:46

      Sessão retomada

      Senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) apresenta questão de ordem sobre o direito de os senadores fazerem réplicas. Humberto Costa (PT-PE) lembra que respostas somente poderão ser dadas caso haja alguma agressão verbal por parte da presidenta.

    • 10:41

      Lewandowsky suspende sessão – Dilma é ovacionada e pedidos de silêncio são ignorados

      Presidente do Senado suspende a sessão após não conseguir calar os aplausos a Dilma.

      Os deputados e senadores aliados da presidenta gritaram ao fim do discurso: "Dilma, guerreira do povo brasileiro".

    • 10:39

      Fim do discurso de Dilma: "Peço que votem contra o impeachment, que votem pela democracia"

    • 10:39

      Dilma para senadores: “Não aceitem um golpe que em vez de solucionar agravará a crise brasileira”

    • 10:36

      Dilma volta a fazer paralelo com a perseguição sofrida da ditadura: "Na primeira vez fui condenada por um Tribunal de exceção"

      Dilma lembra que já temeu a morte, ao ser torturada e ao sofrer de um câncer. Mas hoje só teme pela morte da democracia.

    • 10:34

      Dilma denuncia machismo sofrido no processo e exalta o apoio das mulheres: “Me cobriram de flores e me protegeram com sua solidariedade”

      "Bravas mulheres brasileiras, que tenho a honra e o dever de representar como primeira mulher presidente da República".

    • 10:34

      Dilma denuncia conluio da mídia

      "Não há respeito ao devido processo legal qdo a opinião condenatória de julgadores é divulgada e registrada pela imprensa".

    • 10:32

      Discurso de Dilma já passa dos 30 minutos previstos inicialmente, mas não será interrompido.

    • 10:31

      #Dilmãe entra nos assuntos mais comentados do Twitter

    • 10:30

      Dilma: “Foi o MPF que se recusou a dar sequência ao processo pela inexistência de crime”

    • 10:29

      Dilma afirma que o TCU aprovou as contas dos presidentes que editaram decretos iguais, sem nunca ver problema.

    • 10:28

      Dilma: "Querem me condenar por ter assinado decretos q atendiam demandas de diversos órgãos, inclusive do próprio Poder Judiciário?"

      "Ao editar decretos de crédito suplementar, agi em conformidade com a legislação vigente. O Congresso ñ foi desrespeitado. Só depois que emiti os decretos foi que o TCU mudou a lei. Emiti os decretos em julho e agosto. O TCU alterou sua interpretação em outubro".

    • 10:26

      Dilma argumenta que todas as operações fiscais do seu Governo foram feitas dentro da lei

      “Ao editar decretos de crédito suplementar, agi em conformidade com a legislação vigente. O Congresso ñ foi desrespeitado”.

      “Fazem questão de ignorar que realizamos, em 2015, o maior contingenciamento de nossa história #PelaDemocracia”.

    • 10:25

      Chico Buarque e Lula acompanham o discurso de Dilma

    • 10:24

      Dilma diz que os 3 decretos de créditos suplementares apenas ofereceram alternativas para uso de recursos oferecidos pelos decretos de congestionamento, que não foram alterados. Por isso, não alteraram a meta fiscal.

    • 10:22

      "Estamos a um passo da concretização de um verdadeiro golpe de Estado" – diz Dilma.

    • 10:22

      Dilma: "Serei julgada por crimes q não cometi, antes do julgamento daquele que é acusado de ter praticado gravíssimos atos ilícitos" – em referência ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha

    • 10:19

      Dilma: "Todos sabem que este processo foi aberto por uma chantagem explicita do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha"

      "Arquitetaram a minha destituição, independentemente de quaisquer fatos que pudessem justificar a minha destituição".

      "Quem se acumplicia ao imoral e ao ilícito, não tem respeitabilidade para governar o país".

    • 10:17

      Lula e Chico Buarque assistem lado a lado o discurso de Dilma no Senado

    • 10:16

      Dilma: "Muitos votaram contra propostas que durante toda a sua vida defenderam"

      “Outra poderosa força política se agregou: dos q queriam evitar “sangria” da classe política, motivada por investigações”.

    • 10:15

      Dilma acusa as "elites conservadoras" de querer o poder a qualquer preço

      "Tudo fizeram contra o meu governo".

      "Os resultados de 2014 foram um rude golpe aos interesses da elite conservadora".

    • 10:12

      Dilma faz críticas a medidas já anunciadas pelo Governo Temer

      "Os resultados de 2014 foram um rude golpe aos interesses da elite conservadora".

    • 10:10

      Dilma: "Está claro que não houve crime de responsabilidade. (...) Quem afasta o presidente pelo conjunto é o povo, e só o povo nas eleições".

      "Quem afasta o presidente por conjunto da obra é só o povo", diz lembrando que no presidencialismo "não basta a eventual perda de apoio parlamentar para afastar presidente. Há que se configurar crime de responsabilidade. Não se afasta presidente pelo conjunto da obra".

    • 10:09

      Dilma: "O que está em jogo não é apenas o meu mandato. O que está em jogo é o respeito às urnas. (...) O que está em jogo é o futuro do país".

    • 10:06

      Dilma: "São apenas pretextos para derrubar um governo legítimo, escolhido em eleição direta. O Governo de uma mulher que ousou ganhar duas eleições".

    • 10:02

      Dilma: “Tenho a consciência tranquila. Não cometi os crimes dos quais sou acusada. Hoje o Brasil, o mundo e a história nos observam e aguardam o desfecho deste impeachment”.

    • 10:00

      "Não luto pelo meu mandato, por vaidade ou por apego ao poder. (...) Luto pela democracia, pela verdade e pela justiça. Luto pelo povo no meu país" – diz Dilma

    • 09:54

      Dilma assume a palavra, cumprimenta o Senado e saúda os cidadãos "de seu amado Brasil"

      Dilma lembra que foi eleita por mais de 54 milhões de votos, que se comprometeu a cumprir a Constituição, as leis e promover o bem geral do povo brasileiro.

      "Jamais atentaria contra o que acredito ou praticaria atos contrários aos interesses daqueles que me elegeram #PelaDemocracia".

      "Na luta contra a ditadura recebi no meu corpo as marcas da ditadura. Mas resisti. Resisti à tempestade de terror. Não mudei de lado. Apesar de receber o peso da injustiça nos meus ombros, continuei lutando pela democracia".

      "Aos quase 70 nos de idade, não seria agora, sendo mãe e avó, que abriria mão dos meus princípios".

    • 09:49

      Lewandowski faz orientações para o início da sessão

      Cada senador terá cinco minutos para fazer perguntas a Dilma. Não há limite de tempo para a "explanação da Sra. Presidente da República" – diz Lewandowski.

      A acusada não é obrigada a responder a todas as perguntas, segundo a Constituição e o Código de Processo Penal, lembra o ministro do STF.

      Não haverá réplica para os senadores, a não ser quando eles forem citados de forma injuriosa. Nesse caso, haverá réplica, decidida pelo presidente do processo.

      Lewandowski diz ainda que qualquer um que se manifestar será retirado do plenário – "Dilma não poderá sofrer ofensas".

    • 09:44

      Dilma Rousseff entra no plenário do Senado conduzida pelo presidente da Casa Renan Calheiros

      Sorridente e com aparência calma, Dilma se senta ao lado de seu advogado de defesa, José Eduardo Cardozo.

    • 09:40

      Reaberta a sessão!

      Com excessão de Lula, que também estará presente na plateia, mas não compareceu ainda.

    • 09:39

      Todos a postos! O ministro Lewandowski toma seu lugar para abrir sessão. Dilma ainda não entrou.

    • 09:38

      A primeira senadora a questionar Dilma será Kátia Abreu (PMDB-TO), ex-ministra da Agricultura de seu governo e uma de suas principais defensoras

    • 09:36

      O senador Aécio Neves (PSDB) se pronuncia no Twitter sobre o depoimento de Dilma no Senado

    • 09:33

      Segundo Polícia Militar, cerca de 350 pessoas protestam contra o processo de impeachment de Dilma do lado de fora do Senado

    • 09:31

      Página oficial da Dilma no Facebook publica nota exaltando luta #PelaDemocracia

    Ao vivo
    Impeachment: Dilma comparece ao Senado para sessão de depoimento
    +
    Tags:
    defesa, depoimento, impeachment, Senado Federal, Dilma Rousseff, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik