13:55 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    O velocista brasileiro Yohansson Nascimento foi o escolhido para acender a Tocha Paralímpica

    Tocha Paralímpica é acesa e Brasil busca o 5º lugar no ranking de medalhas

    Beto Barata/PR
    Brasil
    URL curta
    Rio 2016 (253)
    0 229 0 0

    A Tocha Paralímpica já está acessa. A cerimônia aconteceu em Brasília. A chama vai passar por cidades das cinco regiões do país antes de chegar ao Rio de Janeiro. A Paralimpíada acontece de 7 a 18 de setembro.

    O revezamento da Tocha Paralímpica começa no dia 1º de setembro terá início por Brasília, depois seguirá para Belém, Natal, São Paulo, Joinville e Rio de Janeiro, quando a chama chegará na véspera da abertura dos Jogos, no dia 6 de setembro.

    O Brasil conta com a maior delegação brasileira participando em Jogos Paralímpicos, composta por 285 paratletas, sendo 185 homens e 100 mulheres.

    De acordo com o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, Andrew Parsons o Brasil vai buscar o quinto lugar em número de medalhas. Nos Jogos de Londres, em 2012, o Brasil ficou em 7º lugar no ranking.

    "Nossa expectativa é o quinto lugar geral no quadro de medalhas. Nós saímos do sétimo lugar conquistado em Londres (2012) para o quinto lugar. Temos que ultrapassar grandes potências paralímpicas. É uma meta muito ambiciosa, bastante agressiva, mas nossos atletas estão preparados para fazer bonito em casa e sair esse quinto lugar."

    Andrew Parsons ainda ressaltou a capacidade e a preparação da delegação para brigar por medalhas.

    "Essa não é só a maior delegação Paralímpica brasileira de todos os tempos, ela é também a melhor, a mais bem preparada. Nos últimos 8 anos, nós conseguimos dar um nível de preparação para esse grupo de atletas, que nunca tínhamos conseguido antes. São duas gerações, a geração que brilhou em Londres e a geração nova, pós Londres, já com títulos mundiais, em campeonatos mundiais, que vem para brigar. Por isso dizemos que essa é a melhor delegação Paralímpica de todos os tempos, e a mais bem preparada."

    O Ministro do Esporte, Leonardo Picciani ressaltou na cerimônia em Brasília que o Governo Federal pretende ampliar o apoio ao Jogos Paralímpicos e aos paratletas.

    "O Ministério do Esporte tem uma parceria longa e bastante profícua com o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). 90%, dos 285 atletas Paralímpicos da delegação brasileira nos Jogos contam com o apoio do Ministério do Esporte, com o apoio do Governo Federal brasileiros, e nós queremos ampliar. Nós temos certeza que esse será o nosso caminho após os Jogos Paralímpicos."

    Já o presidente interino Michel Temer disse que, com os Jogos Olímpicos, o Brasil foi capaz de organizar um evento que ganhou aplausos internacionais e afirmou alegria em receber os atletas paralímpicos. 

    O velocista brasileiro Yohansson Nascimento foi o escolhido para acender a Tocha Paralímpica. Ele prometeu que os atletas Paralímpicos vão se esforçar para trazer medalhas e transmitir aos brasileiros a mesma emoção que o país teve com as Olimpíadas.

    "Comemorei muito também as duas últimas medalhas do futebol masculino, do vôlei. Quase dei um sopro na televisão, quando Thiago Braz saltou aqueles 6m e ganhou do Renaud Lavillenie. Eu fiquei logo imaginando daqui há pouco vai ser a minha vez. E eu quero voltar para casa com medalhas no peito. Essa chama que acabou a Olimpíada, vamos continuar deixando a chama acesa. Vamos continuar com os pensamentos positivos, dando mais orgulho a toda a população brasileira. Eu não tenho dúvidas,de que todos vocês vão escutar o Hino Nacional todo dia, pois estaremos no lugar mais alto do pódio."

    Nos Jogos de Londres de 2012, Yohansson Nascimento foi Ouro no atletismo nos 200m rasos, e Prata nos 400m rasos.

    Tema:
    Rio 2016 (253)
    Tags:
    Tocha Paralímpica, revezamento, Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Ministério do Esporte, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik