09:49 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Dilma impeachment

    Defesa de Dilma desiste de uma testemunha

    Fabio Pozzebom/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    0 8911

    No segundo dia do julgamento final do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff, diante de uma polêmica envolvendo a ex-secretária de Orçamento, Esther Dweck, o advogado de defesa desistiu de ouvi-la como testemunha do processo, informou Agência Brasil.

    A advogada de acusação, Janaína Paschoal, que também é uma das autoras da denúncia que motivou o processo contra Dilma Rousseff, colocou em suspeição a ex-secretária de Orçamento sob o argumento de que a mesma foi nomeada assessora “por uma parlamentar que é uma das mais ferrenhas defensoras de Dilma”, no caso, a senadora Gleisi Hoffmann.

    "Na política a vingança é sempre maligna. Percebo que há intenção de desqualificar a professora Esther Dweck. Ela participou diretamente dos processos dos decretos, tem grande informação a respeito e, por isso, foi chamada como testemunha. O fato de ser nomeada a um cargo —e não foi ainda—, não significa nada, ela tem vínculo de origem. É professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro)", disse Cardozo que decidiu retirá-la do rol das testemunhas "para não expor a professora a ataques de vingança".

    Mais:

    Segundo dia do julgamento de impeachment da Dilma Rousseff
    Temer está seguro e diz que impeachment é natural da democracia
    Senadores favoráveis ao impeachment querem impugnar testemunhas de Dilma
    Coletivos de brasileiros no exterior protestam contra impeachment
    Tags:
    impeachment, Senado Federal, Esther Dweck, Janaína Paschoal, José Eduardo Cardozo, Dilma Rousseff, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik