03:55 24 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    16111
    Nos siga no

    O colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, publicou neste domingo, 14 de agosto, que o ex-Presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) mandou um recado ao Presidente interino Michel Temer.

    Através de um mensageiro enviado ao Palácio do Jaburu, residência oficial de Temer, Cunha teria dito que se sente abandonado e que “isto não vai ficar assim.” Ainda de acordo com Lauro Jardim, Cunha teria mandado seu mensageiro pronunciar as seguintes palavras para Temer:

    “Era uma vez cinco amigos que faziam tudo juntos. Viajavam, faziam negócios, etc. Um virou Presidente, três viraram Ministros e o último ficou abandonado. Mas isso não ficar assim.”

    Eduardo Cunha, que está com o mandato suspenso pelo Supremo Tribunal, irá a julgamento no plenário da Câmara por quebra de decoro parlamentar. Neste julgamento, que começará em 12 de setembro próximo, Cunha poderá ter seu mandato cassado por ter mentido à CPI da Petrobras ao negar ser titular de contas bancárias na Suíça.

    Entretanto, parlamentares mais próximos do deputado têm dito que há possibilidades de ele escapar da medida radical, arcando com uma espécie de medida “mais branda” que seria uma advertência, preservando assim o seu mandato.

      Já os parlamentares defensores da cassação insistem para que o Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reveja sua decisão e antecipe, ainda para este mês de agosto, o início do julgamento de Eduardo Cunha.  

    Mais:

    Deputado da Rede: 'Cunha tem de ser julgado já!'
    Chico Alencar – exclusivo: ‘Eduardo Cunha pode se transformar numa metralhadora giratória’
    Parecer sobre cassação de Cunha será lido na segunda-feira pelo Presidente da Câmara
    Testemunha de acusação confirma pagamento de propina a Cunha
    Cunha faz churrasco para se despedir da residência oficial da Câmara
    Tags:
    mandato, Câmara dos Deputados, Supremo Tribunal, Michel Temer, Eduardo Cunha, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar