07:48 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    José Eduardo Cardozo, advogado-geral da União

    Cardozo pretende apresentar 20 testemunhas de Dilma ao julgamento

    Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
    Brasil
    URL curta
    622
    Nos siga no

    O advogado de defesa da presidenta afastada Dilma Rousseff, José Eduardo Cardozo, disse nesta quarta-feira (3) que a defesa e a acusação no processo de impeachment devem ter direito a apresentar cinco testemunhas para cada fato imputado a Dilma no julgamento em plenário, informou Agência Brasil.

    Como são quatro fatos – três decretos de suplementação orçamentária e uma operação de crédito entre o Tesouro e o Banco do Brasil –, Cardozo quer levar 20 testemunhas ao plenário do Senado.

    Segundo Cardozo, quem vai decidir sobre o assunto é o STF e Lewandowski terá a palavra final. “Vamos ouvir o presidente Lewandowski e, claro, mais que ouvir, vamos saber respeitar sua decisão”, disse o advogado esta noite, ao deixar a reunião de hoje da Comissão Processante do Impeachment, que discutiu o relatório de Antonio Anastasia (PSDB-MG).

    Cardozo voltou a criticar o parecer e a questionar a conduta de Anastasia que, segundo ele, é suspeito para relatar o impeachment porque pertence a um partido que era oposição ao governo de Dilma Rousseff. “O senador Anastasia é um homem brilhante, correto, mas, sem dúvida, ele atendeu ao seu partido”, disse.

    Mais:

    Líder do PT no Senado: 'Impeachment de Dilma põe em xeque a nossa democracia'
    Anastasia defende continuidade do processo de impeachment contra Dilma Rousseff
    Julgamento final do impeachment poderá ocorrer no dia 26 de agosto
    Dilma diz que não vai ser coadjuvante em Jogos e afirma seguir na luta contra impeachment
    Tags:
    impeachment, Ricardo Lewandowski, Antonio Anastasia, Dilma Rousseff, José Eduardo Cardozo, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar