11:07 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Ministro da Cultura Marcelo Calero diz que a diversidade cultural brasileira será apresentada no RJ durante os Jogos Rio 2016
    Janine Moraes/Ascom MinC

    Ministério da Cultura enxuga programação ao revisar eventos do governo Dilma para Jogos

    Brasil
    URL curta
    Rio 2016 (253)
    0 10

    O Ministério da Cultura anunciou que a programação cultural prevista para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 vai ser menor em relação ao que tinha sido prometido pelo governo Dilma.

    Antes do afastamento da presidenta Dilma Rousseff, o Ministério da Cultura tinha previsto a realização durante os Jogos Rio 2016 mais de dois mil eventos, com a participação de dez mil artistas e investimentos da ordem de R$ 85 milhões. Agora, a programação confirmada vai ser 561 eventos, reunindo 2,1 mil artistas, a um custo de R$ 50 milhões.

    Apesar dos números, o Ministro da Cultura  Marcelo Calero afirma não ter havido cortes na programação cultural para os Jogos, mas sim ajustes  por questões financeiras, nas atrações que tinham sido apenas cotadas e não contratadas.

    "Não havia programação das Olimpíadas contratadas. A gestão anterior nos legou um esboço, encaminhamentos jurídicos, que na nossa avaliação frágeis, e mais do que isso, algumas decisões nós consideramos equivocadas, como por exemplo das R$ 4 milhões para um festival de luzes e transmissões, dar R$ 500 mil reais para um artista italiano. A obra dele deve ser linda sem dúvida alguma, mas eu preferia ter dado a um artista plástico brasileiro."

    Uma das ações culturais revistas pelo Ministério da Cultura por exemplo, foi o contrato que ia ser feito com a Fundição Progresso, espaço cultural localizado na Lapa, zona boêmia e turística, do centro do Rio, que inicialmente receberia R$ 10 milhões para realizar uma grande programação de shows e atrações durante as Olimpíadas, mas agora o contrato caiu para R$ 4 milhões para fazer um roteiro mais modesto e somente no período dos Jogos Paralímpicos.

    Marcelo Calero destacou ainda que com uma programação reduzida haverá investimentos para garantir atrações também nos centros culturais federais do Rio, como na Biblioteca Nacional e no Museu de Belas Artes, que segundo o Ministro, nem abririam durante os Jogos Rio 2016 por conta de dívidas.

    "Não ia ter limpeza, não ia ter segurança, não ia ter conta de luz paga. Nós tínhamos de orçamento para o ano R$ 400 milhões. Esse orçamento não permitiria, que o Ministério sobrevivesse até o final do ano, e nós tínhamos uma dívida de R$1 bilhão, com diversos fornecedores, vários editais não pagos, obras paralisadas, situação de caos administrativo."

    Além dos shows, e exposições pela cidade, o ministério da Cultura destacou ainda na área do cinema, o Cine Odeon e outros espaços vão receber o Circuito Audiovisual que celebra a produção cinematográfica nacional, das Chanchadas da Atlântida ao Cinema Novo. 

    Para saber toda a programação para as Olimpíadas, basta acessar o site do Ministério da Cultura.

    Tema:
    Rio 2016 (253)
    Tags:
    Jogos, atrações, programação, cultura, Ministério da Cultura, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar