12:03 11 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Policias Militar e Civil intensificam policiamento em Natal
    Ivanízio Ramos/ASSECOM/RN

    RN: Exército e Marinha entram na guerra contra o crime

    Brasil
    URL curta
    0 02
    Nos siga no

    Após mais uma madrugada de ataques com fogo a ônibus, carros e prédios públicos no Rio Grande do Norte, o Estado confirmou nesta segunda-feira (1) que mil homens do Exército e 200 fuzileiros navais da Marinha serão enviados ainda esta semana para reforçar as forças policiais em cidades do interior e na região metropolitana de Natal.

    A onda de ataques criminosos teve início na última sexta-feira (29), como retaliação à decisão do Governo local de instalar bloqueadores de celular no Presídio Estadual de Parnamirim, em Natal.

    Por conta disso, a população de Natal chegou a ficar 40 horas sem ônibus circulando. No início desta segunda-feira (1), apenas 30% da frota saíram das garagens e mesmo assim escoltadas pela Polícia.

    Em entrevista, o Secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Norte,  Ronaldo Pierre Cavalcanti Lundgren, disse que cerca de 60 pessoas já foram presas, incluindo o traficante João Maria dos Santos de Oliveira, 32 anos, apontado como um dos chefes do crime organizado no Estado e do grupo tido como responsável pelas ações de violência.

    Ronaldo Lundgren informou que a vinda das Tropas Militares, autorizada pelo presidente interino Michel Temer, ocorreu rapidamente após um pedido do governador do Estado, Robinson Faria, mesmo em tempos de foco total da segurança para os Jogos Olímpicos.

    "Eu avalio como uma pronta resposta, um entendimento da nossa situação, a despeito do grande esforço de garantir a segurança das Olimpíadas lá no Rio de Janeiro. Eu sei que um grande efetivo das Forças Armadas e da Força Nacional de Segurança Pública estão empenhados, mesmo assim o governo federal rapidamente atendeu o pedido do governador. Estou aqui já reunido no Comando da 7ª Brigada de Infantaria Motorizada para discutir os detalhes do emprego dessa tropa. Nossa resposta tranquiliza a população e esse pedido foi feito dentro desse planejamento. A gente imaginava que ia chegar nessa situação, o momento onde seria necessário esse apoio de fora e rapidamente contamos com ele."

    O Secretário de Segurança do Rio Grande do Norte ressaltou que mesmo com as ações criminosas pela cidade, o Estado não vai retroceder.

    "Quanto às forças do Estado, às forças policiais, a gente tem a decisão do governador, tem a minha própria decisão, da Secretaria de Justiça que é a encarregada pelo sistema penitenciário de não retroceder, ao contrário, de avançar e expandir o controle. O Estado é mais forte, tem condições de fazer cumprir toda a legislação. É isso que a população espera e exige que nós façamos e nós estamos fazendo e vamos continuar fazendo."

    Lundgren pede ainda que a população do Rio Grande do Norte não tema e mantenha a sua rotina.

    "Contamos com o apoio e a compreensão da população, que se sente assustada mas ao mesmo tempo se sente com a responsabilidade de mostrar que o temor não pode interferir na rotina diária. Precisa agir com precaução, mas precisa manter a situação constante. As ações estão sendo feitas, estão sendo firmes e vão continuar, porque é isso que o povo, não apenas do Rio Grande do Norte, acho que toda a sociedade brasileira espera, que as autoridades cumpram as suas obrigações para que a segurança seja restabelecida na nossa cidade, no nosso Estado e em todo o país."

    O secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Norte disse ainda que até agora cerca de 40 veículos foram incendiados em todo o estado, sendo uma parte de transporte de veículos oficiais e outra de veículos do transporte urbano, o que representa um prejuízo de R$ 2 bilhões de reais. Os danos nas repartições públicas ainda não foram contabilizados.

    Tags:
    bloqueadores de celulares, fuzileiros navais, bloqueio, fogo, ataques, ônibus, Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, Marinha do Brasil, Exército, Ronaldo Pierre Cavalcanti Lundgren, Rio Grande do Norte, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar