04:31 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Leonardo Picciani é a favor da presença da Rússia nos Jogos Rio 2016

    Picciani espera que atletas da Rússia possam participar dos Jogos Rio 2016

    Roberto Castro/ME
    Brasil
    URL curta
    0 23321

    O Ministro do Esporte, Leonardo Picciani afirmou para a imprensa que está torcendo para que a Rússia participe dos Jogos Rio 2016.

    A Rússia é acusada de montar um esquema de doping envolvendo os atletas russos com apoio do governo durante os Jogos de Inverno de 2014, em Sochi, na Rússia.

     

    Ao inaugurar o Centro de Treinamento Olímpico da Aeronáutica, no Campo dos Afonsos no Rio, que será utilizado por delegações estrangeiras para treinamento durante os Jogos Olímpicos,  Picciani disse que a situação precisa ser analisada com seriedade pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).  

    "Eu torço para que todos os países possam estar presentes, e que os atletas possam estar presentes. É evidente que o esporte tem as suas regras, tem os seus regulamentos e devem ser cumpridos. Essa é uma decisão que cabe às entidades do esporte, às federações internacionais e às autoridades antidoping, à Agência Mundial Antidoping, que devem analisar o caso e tomar a providência que o regulamento manda."

    Nesta segunda-feira (18) a Agência Mundial Antidoping recomendou diante das investigações, que o Comitê Olímpico Internacional puna a Rússia, banindo todos os seus atletas dos Jogos Rio 2016. A seleção de atletismo da Rússia já foi afastada da participação em torneios internacionais em função da desqualificação da Federação Russa de Atletismo pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF). 

    O Comitê Olímpico Internacional (COI) está analisando o caso e dará uma decisão final sobre a desqualificação de toda a seleção da Rússia das Olimpíadas até o final da semana.

    Tags:
    Jogos Rio 2016, punição, participação, atletas, Jogos Olímpicos, doping, Wada, Agência Mundial Antidoping, Rio de Janeiro, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik