21:02 12 Julho 2020
Ouvir Rádio

    Policiais civis do Rio podem entrar em greve às vésperas dos Jogos Olímpicos

    Brasil
    URL curta
    0 21
    Nos siga no

    A assembleia marcada pelo Sindicato dos Policiais Civis do Rio de Janeiro (Sindipol) nesta terça-feira, 12, decidiu marcar novo encontro no próximo dia 28 para decidir se a categoria cruza os braços às vésperas do início dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos na cidade que começam no dia 5 de agosto.

    O porta-voz do Sindipol, Cláudio Alves, disse que a assembleia foi suspensa devido ao Estado ter pago, na semana passada, parte dos salários atrasados, das gratificações e do Rais (o chamado Regime Adicional de Serviço), um trabalho adicional de serviço que o policial faz para complementar o salário.

    "Como se regularizaram esses pagamentos houve pouca adesão, e a assembleia foi suspensa e transferida para o dia 28 de julho, às 17 horas, no Sindicato dos Policiais Civis, na Rua do Riachuelo, 191. O governo pagou a gratificação por metas relativa ao primeiro semestre de 2015, mas falta pagar o segundo semestre de 2015 e o primeiro semestre deste ano. Se o Estado não pagar corretamente os salários daqui para frente e não pagar as gratificações que estão faltando, pode ocorrer isso (greve) sim. Vai depender da assembleia."

    Alves diz que, apesar dos problemas de atraso nos salários e das más condições de trabalho dos policiais e de diversas delegacias, que estão operando sem limpeza e nenhuma estrutura, a integração com as outras forças de segurança que vão atuar na Rio 2016 está funcionando normalmente. 

    "Já houve essa reunião, onde foi estabelecido o entrosamento com as outras forças de segurança sob o comando do Exército."

    Desde o mês passado, os policiais civis estão realizando diversas manifestações mostrando à sociedade o estado de penúria em que estão trabalhando. Em um dos protestos de maior repercussão, que ganhou repercussão na mídia internacional, por dois dias os policiais civis recepcionaram turistas que desembarcavam no Aeroporto Internaciona Tom Jobim com uma faixa com a frase "Welcome to hell" ("Bem-vindos ao inferno"), complementada pelo aviso também em inglês: "Policiais e bombeiros não são pagos. Qualquer pessoa que vier ao Rio não está segura."

    Além das dificuldades operacionais em terra — com o estabelcimento de uma cota de 30 litros de combustível por viatura — também o apoio aéreo não está funcionando segundo o Sindipol. O Huey, modelo blindado que suporta até tiros de fuzil, está pousado sem combustível. O outro também se encontra em terra à espera de peças de reposição.

    Mais:

    Governo interino libera R$78 milhões para Forças Armadas atuarem nas Olimpíadas
    Beltrame pede apoio do Exército para policiamento de vias expressas durante Jogos Rio 2016
    Tags:
    turistas, Jogos Olímpicos, forças armadas, segurança, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Polícia Civil, Comitê Rio 2016, Exército Brasileiro, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar