15:41 25 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Polícia em treinamento para os Jogos Rio 2016
    Rogério Santana/GERJ

    Colaboração de torcedores será fundamental contra o terrorismo nos Jogos Rio 2016

    Brasil
    URL curta
    0 19801

    A questão do terrorismo é um dos principais medos dos visitantes e dos cariocas em relação aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Além da estratégia de segurança dos órgãos de inteligência no país, o governo federal pede que os próprios torcedores ajudem no reconhecimento de suspeitos nos locais de competições.

    A prevenção é uma das principais armas das autoridades de segurança e a ajuda dos cariocas e visitantes será fundamental para coibir qualquer ação. Para isso, agentes de segurança estão distribuindo panfletos explicando como a população pode identificar situações ou suspeitos de terrorismo. Agentes infiltrados também estarão no meio dos turistas para auxiliar na identificação de ameaças suspeitas.

    Toda a rede hoteleira do Rio e nos estados que terão jogos de futebol, também está sendo orientada sobre como pode detectar alguma ação duvidosa e denunciar o fato ao número 190, da Polícia Militar.

    Ao conversar com a imprensa na última sexta-feira (8), o ministro da Defesa, Raul Jungmann afirmou que o governo brasileiro vem mantendo contato com 106 centros de inteligência no exterior, e até agora nenhum deles apontou qualquer possibilidade de um ataque terrorista. O Ministro destacou ainda, que esta é a primeira vez na história dos Jogos Olímpicos, que está em atuação um comando internacional de inteligência, com 97 países conveniados.

    Raul Jungmann também ressaltou que todo o espaço aéreo será restrito durante os Jogos e que qualquer avião que tentar se aproximar das arenas olímpicas poderá ser abatido.

    "Se qualquer aeronave não reconhecida entrar nesse espaço, sobretudo nas áreas de competição, sem ser identificado e sem autorização, a Aeronáutica está autorizada para tiro de destruição."

    Uma das preocupações destacadas pela imprensa brasileira era a presença do terrorista sírio Jihad Ahmad Deyab, ex-presidiário de Guantánamo, em Cuba e que na semana passada, segundo o jornal argentino "La Nacion" tinha sido localizado na Venezuela. O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, chegou a dizer na terça-feira (5) passada que o governo brasileiro estava procurando o terrorista.

    O  ministro da Justiça, Alexandre Moraes, no entanto, fez questão reafirmar, que não há nenhuma indicação de que Jihad Ahmad Deyab tenha entrado no Brasil.

    "Ele já havia tentado ingressar no Brasil duas vezes, nós interceptamos, ele voltou, mas não há nenhum indício também de que ele esteja em território nacional."

    22 mil militares estão se deslocando de diversos pontos do país para reforçar a segurança no Rio de Janeiro. Todo o efetivo a ser utilizado nas ruas durante os Jogos Rio 2016 estará reunido até o dia 24 de julho. O esquema de patrulhamento das Forças Armadas vai contar com 12 navios, 1.169 viaturas, 70 veículos blindados, 28 helicópteros, 48 embarcações e 174 motos.

    Tags:
    panfletos, terrorismo, segurança, Ministério da Justiça, Ministério da Defesa, Jihad Ahmad Deyab, Alexandre de Moraes, Raul Jungmann, Brasília, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik