11:00 05 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    913
    Nos siga no

    O ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró, deixou nesta sexta-feira (24) a carceragem da Polícia Federal, em Curitiba e está em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, onde passa a cumprir prisão domiciliar.

    Cerveró está preso desde janeiro de 2015, no âmbito da Operação Lava Jato, por envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras. Ele foi condenado a 27 anos e 4 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, mas ainda é réu em outros dois processos.

    Após acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF), e autorizado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, Cerveró teve o benefício de prisão domiciliar concedido.

    Durante o voo de Curitiba para o Rio, Cerveró foi hostilizado, por passageiros que o chamaram de “ladrão”, “pilantra” e “safado”.

    O ex-diretor internacional da Petrobrás,  vai ter que seguir diversas regras para não perder o benefício de prisão domiciliar, como por exemplo, terá que utilizar uma tornozeleira eletrônica, não vai poder deixar o país, e só poderá sair de casa em situações de emergências médicas e audiências na Justiça.

    Conforme parte do acordo de delação, Nestor Cerveró já se comprometeu a devolver mais de R$ 17 milhões aos cofres públicos, referente aos crimes que assumiu nas investigações da Lava Jato. 

    Tags:
    delação premiada, Operação Lava Jato, Petrobras, Curitiba, Petrópolis, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar