04:53 22 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Michel Temer durante cerimônia de posse de Torquato Jardim no cargo de Ministro da Transparência, Fiscalização e Controle

    Temer reitera que não será candidato em 2018 e critica proposta de plebiscito

    Marcelo Camargo/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    Brasil entre Temer e Dilma (110)
    1124

    Após a queda de três ministros em pouco mais de um mês de governo, o presidente interino da República, Michel Temer, disse nesta terça-feira (21) acreditar que não terá mais desfalques na equipe ministerial daqui para frente, informou Agência Brasil.

    Michel Temer comenta delações de Sérgio Machado
    Marcelo Camargo/Agência Brasil
    Em entrevista ao jornalista Roberto D Ávila, da Globo News, Temer descartou, novamente, a possibilidade de concorrer à reeleição em 2018 caso seja mantido no poder e que aguardará o desfecho do processo de impeachment para “pleitear” mudanças conjunturais, como a reforma da previdência.

    “Evidentemente que, depois da decisão do Senado [pelo impeachment], abre-se um campo muito mais vasto para a governabilidade. Então, certas questões que neste momento ainda não deu tempo de tratar, eu tratarei depois, como a questão da reforma da previdência. Acho que só poderei pleitear uma reforma da previdência se tiver a efetivação”, disse Temer.

    Temer voltou a desqualificar as acusações feitas contra ele pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. Para o presidente interino, Machado quer “polarizar” com a Presidência da República. O peemedebista ressaltou a importância da Lava Jato e refutou qualquer tentativa de limitar a atuação do Ministério Público e da Polícia Federal.

    O presidente interino ainda criticou a proposta de Dilma de, caso retorne ao poder, seja convocado um plebiscito. “Com o plebiscito está dizendo que deseja voltar, mas que se voltar não poderá governar. [Se] vai voltar para convocar eleições é porque não quer governar”.

    Para Temer, caso o Senado confirme o impeachment de Dilma, dois anos e meio a frente do país são suficientes para “colocar o país nos trilhos”.  “Estamos agindo em uma velocidade extraordinária. Em brevíssimo tempo conseguimos aprovar questões importante e, agora, o limite de gasto para União e agora para os estados.”

    Tema:
    Brasil entre Temer e Dilma (110)

    Mais:

    Dilma diz que Temer está 'desmontando o País'
    Sérgio Machado reafirmou que Temer aceitou repasse de propina
    Cai o terceiro ministro de Temer: Henrique Alves pede demissão após delação
    Temer é apontado em propina na delação premiada
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik