10:22 12 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Refugiado sírio venda esfirras no Rio de Janeiro, Brasil, setembro de 2015

    Brasil desiste de aceitar migrantes sírios

    © AFP 2019 / VANDERLEI ALMEIDA
    Brasil
    URL curta
    Brasil entre Temer e Dilma (110)
    1140
    Nos siga no

    O governo interino brasileiro tomou a decisão de suspender as negociações com União Europeia sobre recepção de refugiados sírios.

    Campo de Refugiados em Atenas
    Roberto Castro/ME/Brasil2016
    Segundo uma fonte do BBC Brasil, as negociações foram suspendidas por iniciativa do ministro da Justiça atual, Alexandre de Moraes. Ao contrário do governo anterior, que tinha uma atitude favorável a receber os refugiados, o governo atual não expressa entusiasmo em relação a esta ideia, afirmando que é necessário introduzir certas restrições na recepção de estrangeiros para o país nos interesses da segurança fronteiriça. O objetivo principal é reforçar a segurança no país parando a entrada de armas e drogas.

    Sob o governo precedente, o Brasil visava obter finanças para aceitar mais de 100 mil refugiados da Síria. Entretanto, as partes ainda não determinaram o volume de recursos financeiros que devem ser prestados ao Brasil para compensar seus gastos com acolhimento de refugiados. Também não foi decidido que campo de refugiados "forneceria" imigrantes.

    Além disso, a ideia de acordo com a União Europeia não foi recebida de forma positiva pelo Itamaraty, que considera que o Brasil não deve ajudar a UE na aceitação de refugiados porque a própria União tem de ser mais generosa com as pessoas desalojadas pela guerra na Síria.

    O governo de Dilma Rousseff afirmou repetidamente que o Brasil estava prestes a acolher refugiados em seu território. O governo mesmo introduziu um visto especial que facilitaria o ingresso de refugiados para o Brasil. Segundo a BBC Brasil, a União Europeia está frustrada com a decisão brasileira.

    Tema:
    Brasil entre Temer e Dilma (110)
    Tags:
    compensação, finanças, acordo, imigrantes, refugiados, União Europeia, Síria, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar