08:49 20 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Dilma Rousseff

    Dilma: ‘governo Temer terá que se ajoelhar’ a Cunha

    © AFP 2018 / VANDERLEI ALMEIDA
    Brasil
    URL curta
    25277

    A presidente afastada do Brasil, Dilma Rousseff, afirmou que Eduardo Cunha é o nome central do governo Temer e que o atual presidente em exercício terá de se ajoelhar ao presidente da Câmara afastado.

    Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, Dilma Rousseff, reforçou a ideia de que o presidente da Câmara afastado, Eduardo Cunha, tem grande poder sobre Michel Temer e o novo governo do Brasil. A presidente afastada do país afirmou que “Cunha é o governo”.

    “Podem falar o que quiserem: o Eduardo Cunha é a pessoa central do governo Temer. Isso ficou claríssimo agora, com a indicação do André Moura. Cunha não só manda: ele é o governo Temer. E não há governo possível nos termos do Eduardo Cunha”, disse Rousseff ao jornal, mencionando o deputado ligado a Cunha e agora líder do governo Temer na Câmara.

    A presidente afastada também disse que os motivos para seu impeachment estão ficando cada vez mais claras, fazendo referência às conversas telefônicas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, com os senadores Romero Jucá, Renan Calheiros e o ex-presidente José Sarney.

    “Eles mostram que a causa real para o meu impeachment era a tentativa de obstrução da Operação Lava Jato por parte de quem achava que, sem mudar o governo, a ‘sangria’ continuaria. A ‘sangria’ é uma citação literal do senador Romero Jucá. Outro dos grampeados diz que eu deixava as coisas correrem. As conversas provam o que sistematicamente falamos: jamais interferimos na Lava Jato. E aqueles que quiseram o impeachment tinham esse objetivo. Não sou eu que digo. Eles próprios dizem.”

    Sobre os boatos de que Marcelo Odebrecht acusará a ex-presidente de pedir dinheiro a ele para sua campanha em 2014, Rousseff não se mostrou preocupada.

    “Eu jamais tive conversa com o Marcelo Odebrecht sobre isso. (…) Eu paguei R$ 70 milhões para o (marqueteiro) João Santana, tudo declarado para o TSE. Onde é que está o caixa dois?”

    Mais:

    EUA trocam embaixador no Brasil após afastamento da presidente Dilma
    Comissão Especial: Decisão final de impeachment de Dilma está prevista para agosto
    Gleisi Hoffmann: Estão ameaçados os direitos conquistados nos Governos Lula e Dilma
    Tags:
    política, impeachment, Operação Lava Jato, Odebrecht, Câmara dos Deputados, Folha de S. Paulo, Michel Temer, Eduardo Cunha, Dilma Rousseff, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik