09:04 22 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Edifício sede da Fiesp na Avenida Paulista, São Paulo

    Marcha das Lésbicas exige fim da violência contra mulheres em SP

    Fiesp
    Brasil
    URL curta
    405

    A 14ª edição da Caminhada das Lésbicas e Bissexuais tem como tema principal a violência contra lésbicas da periferia. A concentração do ato começou neste sábado, 14h (locais) no Largo do Paissandu, no centro de São Paulo, e deve seguir em passeata até o Largo do Arouche, também no centro, onde serão feitas atividades culturais.

    “Muitas vezes, as meninas têm que sair de seus bairros para vivenciar a sua vida afetiva aqui no centro, onde é um pouco mais seguro. Acabam não vivendo suas vidas em seus próprios bairros”, disse à Agência Brasil Cíntia Abreu, representante da Marcha Mundial de Mulheres e integrante da organização do evento. 

    Cintia disse que o ato é uma homenagem também à morte de Luana Barbosa dos Reis, em abril deste ano, depois de ter sido espancada pela Polícia Militar, no interior de São Paulo. “Ela foi morta de uma forma extremamente violenta, todas nos poderíamos estar no lugar dela. Ela era uma mulher negra, mãe”, disse.

    Fizeram parte da marcha movimentos sociais, sindicais, partidários, estudantes, grupos de teatro e de cultura, além de mulheres da periferia. Outro assunto lembrado por Cintia foi o estupro praticado contra lésbicas. “O estupro corretivo é um método que usam contra as lésbicas para fazer virar mulher, para virar hétero. Aqui já tivemos esses fatos e não queremos tanto retrocesso”, lamenta.

    Mais:

    OAB/Mulher: ‘Mais do que um estupro, foi um crime de ódio contra as mulheres’
    #30ContraTodas: Estupro coletivo gera mobilização em massa nas redes sociais
    Polícia identifica quatro suspeitos de participar de estupro coletivo no Rio
    Tags:
    violência contra mulheres, protesto, lésbicas, Brasil, São Paulo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik