00:52 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Palácio do Itamaraty

    Itamaraty criticou declarações de 5 países sobre a crise no Brasil

    Ana de Oliveira/AIG-MRE
    Brasil
    URL curta
    3924
    Nos siga no

    O Ministério das Relações Exteriores (MRE) rebateu nesta sexta-feira (13) críticas dos governos da Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador e Nicarágua quanto a legalidade do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff, informou Agência Brasil.

    Em nota, o Itamaraty disse “rejeitar com veemência” o que classificou como propagação de falsidades por partes desses governos em relação ao impeachment. A assessoria do Ministério de Relações Exteriores informou que o afastamento de Dilma ocorreu “em quadro de absoluto respeito às instituições democráticas e à Constituição federal”.

    O ministério criticou ainda as declarações do secretário-Geral da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), Ernesto Samper, e o posicionamento da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América/Tratado de Cooperação dos Povos (ALBA/TCP).

    “Como qualquer observador isento pode constatar, o processo de impedimento é previsão constitucional; o rito estabelecido na Constituição e na lei foi seguido rigorosamente, com aval e determinação do STF”, acrescentou trecho da nota do Itamaraty.

    De acordo com o MRE, o presidente em exercício Michel Temer assumiu o comando do país “por determinação da Constituição Federal, nos termos por ela fixados”.

    Mais:

    De Cuba à Argentina, países da América Latina repudiam golpe de Estado no Brasil
    Cuba: Golpe de Estado no Brasil é golpe contra os BRICS
    Presidentes da Venezuela e Bolívia questionam a legalidade do impeachment
    Tags:
    Unasul, Alba, MRE, Itamaraty, Ernesto Samper, Bolívia, Nicarágua, Equador, Venezuela, Cuba, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar