08:51 26 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, da Saúde, Ricardo Barros e do Planejamento, Romero Jucá, durante coletiva no Palácio do Planalto

    Governo vai reduzir 4 mil cargos e programas sociais vão passar por inspeção

    José Cruz/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    244

    O governo do presidente em exercício, Michel Temer vai cortar até 4 mil cargos comissionados, quase 19% do total. A afirmativa é do novo ministro do Planejamento, Romero Jucá (PMDB-RR), durante coletiva nesta sexta-feira(13), junto com os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Saúde Ricardo Barros, após a 1ª reunião ministerial com Temer.

    Segundo Romero Jucá, a medida é uma das providências do governo Temer ligadas em relação a redução das despesas públicas,  realizando a reestrutura organizacional dos ministérios. Jucá explicou que o governo dá gratificação de 51 formas diferentes e isso será alterado e reduzido até  31 de dezembro de 2016.

    “O governo federal contrata e dá gratificação de 51 formas diferentes, o que na verdade será revisto. Nós queremos em 31 de dezembro de 2016 ter diminuído 4 mil postos desse tipo de gratificação ou contratação. Isso representa o dobro do que o governo anterior havia anunciado e não havia cumprido.”

    No governo de Dilma Rousseff o corte estabelecido era de redução de 3 mil cargos. Até fevereiro de 2016, 562 postos foram cortados, de um total de 22 mil, o equivalente a 18,7% da meta.

    Jucá ressaltou que apensar do corte não resolver totalmente a questão do gasto público, mas é uma forma do governo dar exemplo para a sociedade.

    “Haverá um esforço dos ministros, da máquina pública no sentido de dar o exemplo. Isso não resolve a questão do gasto público e da meta de déficit, mas em tese é um posicionamento, que o governo deve tomar como exemplo para a sociedade.”

    Sobre os programas sociais, o Ministro do Planejamento afirmou que eles serão “mantidos, melhorados e ampliados”, mas ressaltou que eles vão passar por uma auditoria, onde somente os programas que dão resultados vão ser mantidos e aperfeiçoados.

    Jucá ainda garantiu que os reajustes salariais prometidos pelo governo de Dilma Rousseff também vão ser mantidos pelo governo interino de Temer. 


    Tags:
    saúde, Casa Civil, planejamento, ministérios, governo federal, Ministério do Planejamento, governo brasileiro, Brasília
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar