08:42 23 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    451
    Nos siga no

    Em entrevista exclusiva à Sputnik, o pesquisador do Núcleo de Estudos das Américas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), João Cláudio Pitillo, criticou o caráter tardio do afastamento de Eduardo Cunha da presidência da Câmara dos Deputados e de seu mandato de deputado.

    Edward Snowden e Eduardo Cunha (montagem)
    REUTERS/Glenn Greenwald/Laura Poitras/Courtesy of The Guardian; AP/Andre Penner
    "A decisão do STF é muito importante, mas não retira os fundamento do golpe em andamento. Cunha poderia ter sido removido antes, como foi exposto hoje" – alerta o pesquisador.

    Apesar disso, Pitillo destacou que "há que se comemorar, pois a decisão do Supremo gerou um afastamento inédito de um presidente da Câmara por ordem judicial".

    "O presidente da Câmara não tinha a menor condição de permanecer no cargo, já que é réu em vários processos" – conclui o pesquisador.

    Tags:
    golpe, afastamento, Núcleo de Estudos das Américas da UERJ, Eduardo Cunha, João Cláudio Pitillo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar