17:49 22 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    3310
    Nos siga no

    O primeiro parque erótico do Brasil, o "ErotikaLand”, pode virar a nova atração turística de Piracicaba antes de 2018. Embora a construção ainda não tenha começado, já se sabe que não será permitido manter relações sexuais na área.

    ​O ErotikaLand, com investimento estimado entre 80 milhões e 120 milhões de reais, terá 150 mil metros quadrados com direito a uma piscina de nudismo, carrinhos de bate-bate em forma de órgãos genitais, um “trem dos prazeres" com go-go boys e go-go girls, bem como um cinema 7D com assentos vibratórios.

    O gerente do projeto, Mauro Morata, disse que a abertura do parque criará 250 postos de trabalho e prevê um belo faturamento mensal, com o preço do bilhete entre 300 e 500 reais.

    ​Matheus Erler, membro do Conselho Municipal de Piracicaba e do Partido Socialista Cristão, é uma das vozes contra a construção do ErotikaLand. Ele acredita que o parque pode prejudicar a imagem da cidade.

    "Nós somos a capital do humor, do etanol e da tecnologia. Nós não podemos ser conhecidos como a capital do sexo. Isso seria péssimo para a nossa imagem", disse ele, opinando que o projeto deverá atrair pessoas libertinas e aumentar a prostituição e o uso de drogas.

    "Não haverá lugar para freiras, mas isso não significa que queremos recriar Sodoma e Gomorra. Se os visitantes querem levar as coisas para outro nível, poderão usar o motel que operará perto do parque", rebate Morata.


    Mais:

    Sexo no espaço: cientistas dão salto gigantesco e mostram que é possível
    Pastor que prometia 'purificar' adolescente com sexo oral vai pregar atrás das grades
    Hércules de pedra ganha órgão sexual removível para repelir ladrões de pênis na França
    Tags:
    sexo, atrações, turismo, Disney do Sexo, parque erótico, ErotikaLand, Mauro Morata, Piracicaba, São Paulo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar