22:04 14 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Presidenta Dilma Rousseff em cerimônia do anúncio de prorrogação do Programa Mais Médicos
    Roberto Stuckert Filho/ PR

    Dilma: Acusação de impeachment é ridícula

    Brasil
    URL curta
    652
    Nos siga no

    Em cerimônia em que assinou Medida Provisória que prorroga por três anos os contratos do Programa Mais Médicos com os estrangeiros formados no exterior, a Presidenta Dilma Rousseff voltou a criticar duramente, nesta sexta-feira, 29, em Brasília, o processo de impeachment em andamento contra ela.

    Dilma chamou de ridícula a acusação de crime de responsabilidade como motivo para o impeachment, e reafirmou que o processo, agora sob avaliação do Senado, é na verdade um golpe, configurado em forma de uma eleição indireta dos que não tiveram votos nas urnas.

    A presidente explicou que o que o Governo fez foi garantir programas sociais e programas como o Plano Safra.

    “Eu tenho clareza de que é ridícula a acusação, porque o que nós fizemos foi garantir programas sociais, e garantir programas como o Plano Safra, para a agricultura, e o Programa de Sustentação de Investimento, para a indústria. Há de fato um processo que está em curso, e esse processo tem nome: é golpe. Este processo é um golpe porque não se trata de um processo de impeachment. Trata-se, na verdade, de uma eleição indireta coberta pelo manto do impeachment. Eleição indireta daqueles que não tiveram votos nas urnas. Aqueles 115 milhões que votaram nas eleições de 2014, que deram a mim 54 milhões de votos, mas é um desrespeito também a todos os 115 milhões de eleitores, porque saíram de casa e foram lá votar.”

    Dilma voltou a ressaltar que vai lutar para manter o seu mandato, e também para garantir a continuidade de importantes avanços sociais conquistados nos últimos anos. De acordo com a presidente, qualquer um que proponha reajuste fiscal reduzindo direitos da população está propondo um grande retrocesso.

    Reale e Janaína Paschoal falam na Comissão do Impeachment
    Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

    “A minha luta é para garantir e preservar conquistas históricas da população brasileira, como é o Mais Médicos, como é o SUS [Sistema Único de Saúde], e para garantir que a democracia tenha um sentido substantivo.”

    Sobre a nova Medida Provisória que prorroga os contratos do Programa Mais Médicos com estrangeiros formados no exterior, Dilma Rousseff fez uma avaliação positiva do projeto, destacando que a autorização vai garantir a continuidade do atendimento básico de saúde a quase 63 milhões de brasileiros, ressaltando a importância do atendimento nas comunidades indígenas do país.

    “Hoje nós chegamos a 18.240 médicos em atividade em 4.058 municípios e 34 distritos indígenas. Nós sabemos que ano a ano há evidências de que o Mais Médicos é um programa que vai se transformando, sobretudo, em política de Estado.”

    Mais:

    Após cuspida, Zé de Abreu vai à TV e denuncia golpe
    Brasileiros se manifestam contra golpe no dia da revolução portuguesa
    Sem falar em golpe, Dilma diz na ONU que momento no Brasil é grave
    Tags:
    crime de responsabilidade, programas sociais, golpe de Estado, Mais Médicos, democracia, impeachment, Dilma Rousseff, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar