15:24 21 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Movimento dos Sem Terra (MST)

    Trabalhadores do campo reúnem 6 mil contra o impeachment e pela reforma agrária

    Marcelo Camargo/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    931

    Cerca de 6 mil trabalhadores no campo estão em marcha nesta segunda-feira, 25, em cinco Estados contra o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff e pela Jornada Nacional de Luta pela Reforma Agrária. O protesto foi convocado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e tem o apoio da Frente Brasil Popular.

    No Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste, os integrantes vão marchar até as capitais. Desde o início do mês, diversas atividades recordam o Massacre de Eldorado dos Carajás, ocorrido no Pará em 1996, quando 21 trabalhadores sem terra foram mortos por disparos da Polícia Militar do Estado durante manifestação.

    Em Minas Gerais, cerca de 3 mil trabalhadores percorrem 200 quilômetros desde Ouro Preto em direção a Belo Horizonte, onde devem chegar nesta terça-feira, 26, para realizar diversas programações culturais e ato político.

    “A marcha é pedagógica para trabalhadores e trabalhadoras. Ao mesmo tempo vamos deixando o recado para os brasileiros que este atentado à democracia não passará tão facilmente”, disse Beatriz Cerqueira, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em Minas Gerais.

    Na Paraíba, cerca de 400 sem terra saíram de Campina Grande rumo a João Pessoa, onde também devem chegar nesta terça-feira, após um trajeto de 135 quilômetros e de ter recebido apoios  da Universidade Estadual da Paraíba, Universidade Federal de Campina Grande e Universidade Federal da Paraíba, entre outras entidades.

    Em Mato Grosso, a marcha reúne 600 manifestantes que caminham desde a zona rural de Cuiabá, na BR-364, cobrando a retomada da Reforma Agrária e a punição dos envolvidos no Massacre de Eldorado dos Carajás, que completa 20 anos em 2016.

    No Rio Grande do Norte, 500 sem terra saíram da cidade de Ceará-Mirim em direção a Natal. A previsão é erguer um acampamento na capital potiguar, concentrando atividades da Frente Brasil Popular.

    Em Alagoas, mais de 1.500 trabalhadores do campo se deslocaram da cidade de União dos Palmares e estão percorrendo 80 quilômetros até a capital, Maceió, onde devem chegar na próxima quinta-feira, 28, para realizar uma série de atividades culturais pelo caminho. Ao passarem pelo Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Alagoas, em Rio Largo, será lançado o Comitê Estadual da Campanha Permanente contra o Uso de Agrotóxicos pela Vida.

    Participam da marcha oito movimentos de luta pelo acesso à terra: Comissão Pastoral da Terra; Movimento de Luta pela Terra; Movimento de Libertação dos Sem Terra; Movimento  dos Trabalhadores Rurais Sem Terra; Movimento Terra, Trabalho e Liberdade; Via do Trabalho; Movimento Unidos pela Terra; e Terra Livre.

    Mais:

    PT pede apoio a organizações sociais, sindicais e estudantis contra o impeachment
    Nicolás Maduro: Impeachment de Dilma é golpe parlamentar
    Impeachment: Movimentos no campo estudam opções até de paralisação nacional
    Conselho Latinoamericano de Ciências Sociais classifica o processo de impeachment de golpe
    Tags:
    impeachment, campo, reforma agrária, CUT, MST, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik