04:02 23 Setembro 2020
Ouvir Rádio

    Advocacia-Geral da União pode entrar com novas ações no STF

    Brasil
    URL curta
    Pedido de impeachment de Dilma Rousseff (132)
    312
    Nos siga no

    Depois de apresentar argumentos de defesa da Presidenta Dilma Rousseff no plenário da Câmara na manhã desta sexta-feira(15), o ministro da Advocacia-Geral da União, José Eduardo Cardozo admitiu em coletiva à imprensa que o governo pode entrar com novas ações junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para questionar o processo conduzido pela Casa.

    Uma das questões colocadas em foco pelo ministro é a exposição feita pelo jurista Miguel Reale Júnior, que o antecedeu na tribuna, dos pontos do pedido que culminou no processo de impeachment. “Vamos analisar a acusação do jurista Miguel Reale Júnior”, afirmou.

    Segundo José Eduardo Cardozo, a Advocacia-Geral da União vai solicitar as notas taquigráficas para analisar o discurso de Reale Júnior, que se baseou na Operação Lava-Jato e nas contas de 2014.

    Cardozo quer evitar que, nos discursos e manifestações que antecedam a votação do impeachment, prevista para acontecer no domingo (17), acusações não incluídas no pedido de impedimento ganhem espaço e induzam o resultado, sem que a defesa da Presidenta possa ou esteja preparada para contra-argumentar. “Se entendermos que existe alguma questão que exija ajuizamento imediato, vamos fazer”, argumentou Cardozo.

    Miguel Reale Júnior também falou com a imprensa após deixar o Plenário e reafirmou que houve crime de responsabilidade por parte do governo Dilma. "O Brasil entrou no cheque especial, ficou na lona. Começou o processo inflacionário e o brasileiro tem perda de seu salário. Isto é consequência da pedalada", afirmou.

    O jurista ainda disse que o governo “não tem mais cartas na manga”, e que o processo agora está nas mãos dos deputados “que estão sensíveis à população”.

    Tema:
    Pedido de impeachment de Dilma Rousseff (132)

    Mais:

    AGU entra com ação junto ao STF para anular processo de impeachment na Câmara
    STF rejeita ações contestando impeachment de Dilma
    Intelectuais pedem ao STF isenção no julgamento do impeachment
    Tags:
    AGU, STF, Miguel Reale Júnior, José Eduardo Cardozo, Dilma Rousseff, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar