10:17 17 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Manifestantes pró e contra Lula se enfrentam em São Paulo

    De 'House of Cards' a 'The Walking Dead': Como evolui a crise no Brasil, segundo o FT

    © AFP 2019 / Nelson Almeida
    Brasil
    URL curta
    Pedido de impeachment de Dilma Rousseff (132)
    584
    Nos siga no

    A crise política brasileira já foi muito comparada à série de ficção “House of Cards”, que narra os segredos e as intrigas nos bastidores da Casa Branca, mas evoca cada vez mais o cenário apocalíptico dos zumbis de “The Walking Dead”. Ao menos, é assim que o jornal britânico Financial Times explicou a trama tupiniquim para seus leitores.

    Em meio às manobras políticas, midiáticas e jurídicas surreais a que os brasileiros têm assistido nos últimos meses, o enredo da série protagonizada por Francis Underwood (Kevin Spacy) – um vice-presidente dos EUA que assume a presidência após arquitetar secretamente o impeachment do chefe na nação, valendo-se dos meios mais inconfessáveis para se perpetuar no poder – parece, de fato, “entediante”, como colocou o popular vlogueiro norte-americano Hank Green no vídeo abaixo:          

    Até a produção da série, produzida pela Netflix, brincou com a comparação, publicando um gif no Twitter em que Underwood se diverte “assistindo ao noticiário brasileiro” no dia em que o juiz Sérgio Moro vazou ilegalmente o áudio de conversas particulares entre Dilma e o ex-presidente Lula.

    ​Diante do nível de surrealismo politico no país, muitos internautas brasileiros entraram na onda.  

    No entanto, segundo a reportagem do Financial Times assinada pelo correspondente do jornal no Brasil, Joe Leahy, a cena política do país “cada vez mais começa a se parecer com o seriado de zumbis ‘The Walking Dead’”. 

    “Seja pelo envolvimento em corrupção, ou apenas pelo seu oportunismo cínico, os principais atores políticos do Brasil estão perdendo rapidamente a legitimidade aos olhos de um eleitorado cansado”, avalia o FT.

    De acordo com o artigo, a mudança de atitude é ilustrada na aparição do movimento “Fora Todos”, que exige a destituição não só de Dilma, mas de todo o Congresso, a fim de celebrar novas eleições.

    ​“A natureza cada vez mais bizantina em torno do impeachment [da presidenta Dilma] Rousseff significa que mais e mais brasileiros estão fadados a entregar os pontos, em confusão e desgosto, e a se juntar ao movimento Fora Todos”, observa Leahy.

    O problema, ainda segundo o jornal britânico, é que, embora a ideia de um “novo começo” seja apelativa para parte da população indignada com o tamanho da corrupção política, “não há nenhuma maneira constitucional clara de convocar novas eleições, a menos que Dilma e Temer sejam ambos declarados impedidos, ou tenham seus mandatos anulados pelo Tribunal Superior Eleitoral, ou renunciem”, o que é altamente improvável.

    “Enquanto isso”, conclui o jornal, “os políticos mortos-vivos [‘Walking Dead’] de Brasília ameaçam transformar um país que já teve uma das mais vibrantes histórias de crescimento global na economia zumbi do mundo emergente”.

    E enquanto analistas advertem para a marcha da insensatez que tomou conta da nação, cresce o temor de que a metáfora apocalíptica seja levada às suas últimas consequências com a explosão de confrontos registrados nas ruas e nos espaços públicos do país. Esperemos os próximos capítulos. 

    Tema:
    Pedido de impeachment de Dilma Rousseff (132)

    Mais:

    Chancelaria russa: o processo de impeachment de Dilma não deve violar a Constituição
    Lula participa de ato contra impeachment de Dilma no centro do Rio
    Comissão da Câmara aprova relatório a favor do impeachment de Dilma
    Manifestantes instalam 'placar do impeachment' em frente ao Congresso
    Advogado-geral da União: Relatório apresentado à Comissão do Impeachment é nulo e viciado
    Opinião: ‘Estamos vendo o vice-presidente da República articular o golpe’
    América Latina se levanta contra golpe articulado no Brasil por interesses estrangeiros
    Mais de 700 artistas e intelectuais brasileiros assinam 'carta contra o golpe'
    Tags:
    novas eleições, Fora Todos, série, zumbis, crise política, golpe, impeachment, corrupção, The Walking Dead, House of Cards, Congresso, Financial Times, Netflix, Francis Underwood, Michel Temer, Lula, Eduardo Cunha, Dilma Rousseff, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar