03:09 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidente do Senado, Renan Calheiros, concede entrevista em Brasília.

    Presidente do Senado adere à ideia de novas eleições gerais em 2016

    Jane de Araújo/Agência Senado
    Brasil
    URL curta
    Pedido de impeachment de Dilma Rousseff (132)
    2326

    O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nesta terça-feira, 5, ser favorável à proposta do Senador Valdir Raupp (PMDB-RR) que pede a antecipação das eleições para a Presidência da República, Senado e Câmara, para dar fim ao impasse na crise política.

    De acordo com a proposta do Senador Valdir Raupp, a eleição presidencial ocorreria em outubro deste ano, coincidindo as eleições municipais.

    Para Renan Calheiros, a ideia também pode ser uma solução para o processo de impeachment da Presidenta Dilma e uma resposta do Congresso à sociedade brasileira.

    “Sobre essa proposta do Senador Valdir Raupp, eu sinceramente acho bem elaborada e a vejo com bons olhos – essa coisa de eleição geral. Eu acho que se a política não arbitrar saídas para o Brasil nós não podemos fechar nenhuma porta, ou deixar de discutir nenhuma alternativa. Nem essa de eleição geral, nem a de fazer uma revisão no sistema de governo, e até identificarmos o que há de melhor no parlamentarismo e no presidencialismo. Eu acho que a antecipação da eleição presidencial é outra coisa. A tese da eleição geral que está sendo defendida é sem dúvida nenhuma uma tese mais ampla, e pode significar uma resposta da política ao Brasil, que continua a demonstrar muita ansiedade nesse momento.”

    Calheiros também foi questionado sobre o que achou da decisão do Vice-Presidente Michel Temer, de pedir licença da presidência nacional do PMDB, e o cargo ser assumido pelo Senador Romero Jucá (RR). O presidente do Senado classificou a decisão como uma boa alternativa para voltar a unir o partido.

    “Eu procuro não comentar os fatos partidários para não estreitar o meu papel, o meu trabalho como presidente do Congresso Nacional, mas eu acho uma boa solução, porque o Senador Romero Jucá é um grande quadro, tem relação com praticamente todos os segmentos do partido. Sem dúvida nenhuma, ele pode fazer um esforço pela unificação. O Vice-Presidente Temer foi eleito pela unanimidade do PMDB, mas é muito importante que essa unanimidade se refaça a cada momento. Eu acho que o Senador Romero Jucá tem todas as condições para refazê-la quando houver necessidade.”

    Romero Jucá assume a presidência do PMDB uma semana após o rompimento do partido com o Governo. Desde então, Michel Temer tem sido alvo de críticas de tramar um golpe contra Dilma.

    Ministro da Justiça, Eduardo Cardozo
    Gabriela Korossy/ Câmara dos Deputados

    Nesta terça-feira, 5, o partido Rede da Sustentabilidade também lançou a campanha intitulada “Nem Dilma, nem Temer, Nova Eleição É a Solução”, em que pede, junto ao Tribunal Superior Eleitoral, a cassação da  presidente e do vice. Durante a cerimônia de lançamento, em Brasília, a ex-Senadora Marina Silva pregou que “a saída para a crise política e econômica do país é uma nova eleição”.

    Tema:
    Pedido de impeachment de Dilma Rousseff (132)

    Mais:

    STF determina que Cunha dê seguimento ao impeachment de Temer
    Presidente da África do Sul sobrevive a votação de impeachment
    Advogado-geral da União defende Dilma e diz que impeachment é vingança de Eduardo Cunha
    Tags:
    eleições legislativas, eleições presidenciais, parlamentarismo, impeachment, Rede Sustentabilidade, PMDB, PT, Romero Jucá, Michel Temer, Renan Calheiros, Dilma Rousseff, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik