06:34 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Bandeiras do Brasil e de Israel

    Depois de mal-entendido, Israel mantém indicação de Dayan para embaixador no Brasil

    © AFP 2019 / NELSON ALMEIDA
    Brasil
    URL curta
    1919
    Nos siga no

    O nome do empresário Dani Dayan está mantido para chefiar a Embaixada de Israel no Brasil. O comunicado foi feito pelo próprio Ministério das Relações Exteriores de Israel na quinta-feira, 17, após um mal-entendido criado no âmbito do próprio órgão.

    Uma hora antes de anunciar a confirmação, o Ministério havia divulgado estar à procura de um novo nome devido ao impasse formado com o governo brasileiro.

    Em agosto de 2015, ao invés de utilizar os canais diplomáticos adequados, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, informou em sua conta do Twitter que Dani Dayan, seu amigo pessoal e homem de confiança, fora escolhido para chefiar a missão diplomática de Israel no Brasil. Por sua vez, o Governo brasileiro afirmou que não poderia conceder o agréement por não haver sido notificado, formalmente, sobre a indicação do novo embaixador.

    Em torno deste impasse, surgiram várias outras informações, como a de que Brasília não aceitaria Dayan como embaixador de Israel no Brasil por ele ter feito parte do Conselho Yesha, o Conselho que representava os colonos israelenses na Cisjordânia.

    Sobre a confusão de quinta-feira, o Governo de Israel atribuiu o fato a um erro técnico. Segundo a imprensa israelense, o departamento de recursos humanos do Ministério das Relações Exteriores havia informado que um novo concurso seria aberto para preenchimento de três chefias de missões diplomáticas: a de Brasília, a de Asmara (na Eritreia, África) e a de Budapeste, na Hungria.

    Tão logo esta informação se tornou conhecida, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Emmanuel Nahshon, declarou que ela estava errada e que o "cargo de embaixador no Brasil não está vago, uma vez que a indicação do Sr. Dani Dayan está mantida".

    Em janeiro deste ano, Marco Aurélio Garcia, assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, declarou à imprensa que a “escolha de Dayan para embaixador no Brasil foi um passo em falso do Governo de Israel”. Nas palavras de Garcia, “Dayan é um apoiador dos assentamentos em territórios palestinos, o que o Brasil e grande parte da comunidade internacional condenam”.

    Também em janeiro de 2016, o professor de Relações Internacionais Samuel Feldberg, da Universidade de São Paulo (USP), declarou à Sputnik Brasil que já não via mais possibilidades do nome de Dani Dayan ser mantido para a chefia da missão diplomática de Israel no Brasil devido ao impasse entre os dois países e à longa espera.

    Na ocasião, dava-se como certo que Benjamin Netanyahu indicaria outro nome para o Brasil e que Dani Dayan seria nomeado cônsul-geral de Israel em Los Angeles, nos Estados Unidos.

    Tags:
    embaixador, Marco Aurélio Garcia, Dani Dayan, Brasil, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar