15:18 20 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Centro de Detenção Provisória de Pinheiros, em São Paulo, onde ficou o executivo argentino

    Justiça brasileira liberta executivo do Facebook

    © AFP 2018/ Nelson Almeida
    Brasil
    URL curta
    803

    Preso na última terça-feira, 1, em São Paulo, o vice-presidente do Facebook na América Latina, o argentino Diego Dzodan, foi solto nesta manhã por ordem de desembargador que considerou ilegal a detenção.

    Dzodan havia sido detido pela Polícia Federal por se negar a compartilhar com a justiça informações de usuários e conteúdos de mensagens trocadas no Facebook e no WhatsApp, que seriam utilizadas em um processo de investigação antidrogas. 

    A ordem de prisão preventiva foi emitida pelo juiz Marcel Maia Montalvão, da comarca criminal de Lagarto, em Sergipe. Mas, nesta quarta-feira, as autoridades tiveram que libertar o executivo após o desembargador Ruy Pinheiro considerar a medida uma "coação ilegal". 

    "A prisão de Diego foi uma medida extrema e desproporcional e estamos felizes que o tribunal de Sergipe tenha emitido uma decisão ordenando sua libertação", declarou nesta quarta-feira um porta-voz do Facebook, citado pela agência AFP. "Deter uma pessoa que não tem nenhuma relação com uma investigação em andamento é uma medida arbitrária e nos preocupam os efeitos desta decisão para as pessoas e a inovação no Brasil. Continuamos à disposição para responder a qualquer pergunta que as autoridades brasileiras tiverem", acrescentou.

    Mais:

    Adeus às armas... no Facebook
    Não, Mark Zuckerberg não doará 99% de suas ações no Facebook para a caridade
    Não está feliz? Se calhar o problema é o Facebook
    Ucranianos exigem boicotar rede social Facebook
    Tags:
    AFP, WhatsApp, Facebook, Ruy Pinheiro, Diego Dzodan, Marcel Maia Montalvão, Sergipe, São Paulo, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik