15:09 23 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Manifestantes protestam nos corredores das comissões da Câmara dos Deputados

    Governo confirma 508 casos de microcefalia e prepara novo dia D contra o Aedes

    Alex Ferreira/ Câmara dos Deputados
    Brasil
    URL curta
    Zika Vírus: Alerta global (77)
    118202

    Em meio a mal-entendidos e informações limitadas sobre os surtos de zika e malformações congênitas no Brasil, o Ministério da Saúde divulgou hoje um novo boletim sobre a microcefalia, afirmando que há 508 casos confirmados, sugestivos de infecção congênita, e 3.935 em investigação.

    Segundo as autoridades, 5.280 casos suspeitos foram notificados entre 22 de outubro de 2015 e 13 de fevereiro de 2016 em todo o país, sendo que 837 já foram descartados por apresentarem exames normais ou apresentarem microcefalias e/ou alterações no sistema nervoso central por causas não infeciosas. Apenas os estados do Amapá e do Amazonas não tiveram notificações. 

    Nos últimos dias, a comunidade científica foi surpreendida pela divulgação de uma nova hipótese para a epidemia de microcefalia no Brasil. Um grupo de pesquisadores argentinos defendeu a ideia de que os novos casos estariam ligados ao uso de um pesticida em reservatórios de água limpa para impedir o desenvolvimento das larvas do Aedes Aegypti, e não ao vírus da zika, como todos imaginavam. O suposto estudo, no entanto, teria como base uma nota técnica da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), que prontamente informou a imprensa sobre o equívoco, negando ter feito qualquer relação entre o produto em questão, o pyriproxifen, e a microcefalia. 

    Como a maioria dos especialistas segue acreditando que o zika vírus é o principal responsável pelo atual surto de microcefalia, o governo brasileiro segue reforçando a necessidade de combate ao vetor, o Aedes Aegypti.

    Após a campanha bem sucedida do último sábado, a presidenta Dilma Rousseff está planejando realizar um novo dia D contra o mosquito, na próxima sexta-feira. A mobilização, que, como a anterior, contará com a participação de todos os ministros, terá como foco atividades de conscientização em escolas públicas das 27 unidades da federação, sobre a importância de se eliminar os criadouros do Aedes. A ação será coordenada pela Casa Civil e o Ministério da Educação, e a expectativa é a de que atinja cerca de 60 milhões de pessoas. 

    Por meio de nota, o Ministério da Saúde informou que está "investigando todos os casos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso central informados pelos estados e a possível relação com o vírus zika e outras infecções congênitas", acrescentando que a condição neurológica especial também pode ter como causa agentes infecciosos como sífilis, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e herpes viral.

    Tema:
    Zika Vírus: Alerta global (77)

    Mais:

    ‘Temos que pesquisar mais para ter certeza de que a microcefalia é ligada ao zika vírus’
    OMS considera usar sistema russo para monitorar Zika nas Olimpíadas Rio-2016
    Dilma: zika não compromete Jogos Olímpicos no Rio
    ONG brasileira defende interrupção de gravidez em casos de microcefalia
    Tags:
    saúde, herpes, citomegalovírus, rubéola, toxoplasmose, sífilis, larvicida, zika, microcefalia, Aedes Aegypti, pyriproxifen, Dia D, Abrasco, Dilma Rousseff, Amazonas, Amapá, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik