22:22 03 Agosto 2021
Ouvir Rádio

    Desfiles do Grupo Especial batem recorde de público no Sambódromo do Rio

    Brasil
    URL curta
    734
    Nos siga no

    A LIESA, Liga Independente das Escolas de Samba do Rio, informou que o Sambódromo do Rio de Janeiro recebeu no domingo (7) e na segunda-feira (8) um público médio de 120 mil pessoas por dia durante os desfile das escolas de samba do grupo especial do carnaval carioca.

    Em entrevista exclusiva para a Sputnik Brasil, o Coordenador Geral de vendas de ingressos da LIESA, Heron Schneider, explicou que esse foi um público recorde desde a inauguração do Sambódromo, em 1984.

    Segundo Heron, só de espectadores diretos foram 76,5 mil, se somando ainda aos 18 mil credenciados das áreas de serviço, imprensa e organização, mais cerca de 18 mil pessoas desfilando em seis escolas, entrando e saindo da Marquês de Sapucaí, e 4 mil pessoas nas arquibancadas chamadas zero, que ficam próximas da área de concentração das escolas.

    “Sem sombra de dúvidas esse público que compareceu à Passarela do Samba no domingo e segunda-feira eu reputo como recorde, por um motivo de que até 2011 a capacidade da Passarela era em torno de 56 mil espectadores, porque nós tínhamos no lado par camarotes de uma cervejaria, ao invés de termos vários setores de arquibancadas. Quando houve a reforma e a ampliação do Sambódromo, que o primeiro ano foi em 2012, nós quase duplicamos a oferta de arquibancadas especiais, e desde então, até o carnaval do ano passado, nós nunca havíamos conseguido esgotar a venda dessas arquibancadas. Só que esse ano, para nossa alegria e surpresa, tivemos a grata satisfação de que todos os ingressos de arquibancadas especiais e de frisas foram vendidos, gerando com isso desde a inauguração do Sambódromo o seu público recorde”.

    Sobre as previsões de especialistas de que a crise econômica atual no país poderia prejudicar a venda de ingressos e o carnaval no Sambódromo do Rio, Heron Schneider fez questão de ressaltar a grandeza do Carnaval na Sapucaí, afirmando que essa é a maior festa do mundo e que a crise foi contornada com a criatividade das escolas de samba.

    “Não vamos esconder que não havia crise. Só que não tem zika, não tem crise, não tem o que segure o maior espetáculo da Terra. Isso é visto aos olhos do mundo e nós tínhamos com certeza mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo entre espectadores, curtindo esse carnaval fabuloso. Foi um show de criatividade. Estão de parabéns os carnavalescos e a direção das escolas, porque o que se viu foi um carnaval grandioso, acho que um dos maiores dos últimos tempos”.

    Para a noite do desfile das campeãs, que acontece no sábado (13), o funcionário da LIESA espera repetir a venda dos 76,5 mil ingressos, reunindo novamente 120 mil pessoas circulando pelo Sambódromo.

    “Agora vai depender de como as vendas vão reagir em função do resultado das escolas campeãs. Eu acredito que se as escolas de maior torcida estiverem, fatalmente teremos também um recorde de público na Sapucaí no Sábado das Campeãs. Essa é a nossa expectativa e que nós gostaríamos para coroar todo um carnaval que foi super grandioso”.

    Mais:

    Desfile do Grupo Especial e Carnaval de rua no Rio de Janeiro
    Latino-americanos curtem carnaval de rua no Rio de Janeiro
    FOTOS: Série A do Carnaval carioca desfila na Marquês de Sapucaí
    É CARNAVAL! Enredos, números e atrações das Escolas de Samba do Rio
    Tags:
    Brasil, Rio de Janeiro, Heron Schneider, Sputnik, Liesa, Carnaval, zika
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar