13:27 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Usina hidrelétrica

    Dinheiro em caixa: Governo assina contratos de concessão de 29 hidrelétricas

    © Sputnik / Pavel Didenko
    Brasil
    URL curta
    31156
    Nos siga no

    Governo e empresas vencedoras assinaram os contratos de concessão das 29 usinas hidrelétricas leiloadas em novembro passado. As usinas, localizadas nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, têm capacidade de geração total de 6 mil megawatts de energia, o suficiente para abastecer cerca de 35 milhões de residências.

    As concessões das 29 usinas, válidas pelos próximos 30 anos, geraram uma arrecadação de R$ 17 bilhões em outorga, dinheiro que vai para o caixa do Tesouro Nacional.

    Durante a cerimônia de assinatura, o ministro interino de Minas e Energia, Luiz Eduardo Barata, enfatizou que o Governo tem trabalhado para priorizar a segurança energética do Brasil, apesar de o país estar passando por uma das piores séries hidrológicas da história. Segundo Luiz Eduardo Barata, a meta é superar os desafios com riscos de déficit próximos de zero.

    “O resultado do leilão permitiu fortalecer o atendimento da demanda do mercado, garantindo a operação dessas unidades geradoras por mais 30 anos e também garantindo a segurança energética. Temos metas urgentes a alcançar. Todos esses investimentos que têm sido realizados, todas as ações de reorganização e estabilização do setor têm que resultar num cenário que se tornou nosso mantra no Ministério de Minas e Energia, que é o de um sistema elétrico cada vez mais robusto, com custos declinantes e competitivos internacionalmente. É este o troféu que precisamos conquistar para entregar aos brasileiros.”

    Luiz Eduardo Barata explicou ainda que a partir de 2017 as empresas vão poder vender livremente 30% da energia produzida pelas usinas, e os outros 70% deverão ser destinados a preços mais baixos aos distribuidores, que atendem ao consumidor final.

    “Sob todos os aspectos, esse leilão foi um sucesso. Primeiro porque permitiu a arrecadação desses R$ 17 bilhões, que contribuíram para o ajuste fiscal do país. Segundo porque possibilitou e mostrou a importância dessa nova modalidade, permitiu que 70% da garantia física dessas usinas permanecessem no regime de cotas e 30% fossem permitidos aos concessionários vencedores do leilão que pudessem ter o livre dispor dessas usinas. Obviamente que a participação estrangeira é muito bem-vinda. Não só o capital chinês, como o capital estrangeiro de uma maneira geral, americano, canadense, europeu.”

    Na assinatura dos contratos, as empresas realizaram o pagamento de 65%, o equivalente a R$ 11 bilhões, dos R$ 17 bilhões da outorga. Os outros R$ 6 bilhões deverão ser pagos num prazo de até 180 dias.

    Participaram da cerimônia de assinatura dos contratos os representantes das empresas vencedoras: Celg GT; Copel GT; Enel Green Power Mourão e Enel Green Power Paranapanema; Celesc Geração e Cemig GT.

    Mais:

    Itaipu bate recorde mundial de geração de energia elétrica limpa e renovável
    Sem água, Brasil procura alternativas de produção de energia limpa
    Governo lança programa para investir R$ 186 bi em Energia Elétrica até 2018
    Potencial da energia eólica no Brasil corresponde ao de 20 usinas hidrelétricas de Itaipu
    Banco dos BRICS vai financiar projetos de energia de grande escala
    Tags:
    hidrelétrica, energia elétrica, energia, Cemig GT, Celesc Geração, Enel Green Power Paranapanema, Enel Green Power Mourão, Copel GT, Celg GT, Ministério de Minas e Energia, Luiz Eduardo Barata, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar