19:34 15 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Delegacia móvel da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro.

    Polícia Civil do Rio de Janeiro identifica quadrilha que “abrasileirava” sírios

    Fotos Públicas / GOVERJ / Diego Reis
    Brasil
    URL curta
    162

    Quatro pessoas que integravam a quadrilha que “abrasileirava” estrangeiros foram identificados após uma investigação da Polícia Civil do Rio de Janeiro que durou oito meses. Eles fraudavam certidões de nascimento e conseguiram “transformar” 72 sírios em brasileiros.

    A fraude foi revelada na segunda-feira (14) pelo Jornal Nacional, da TV Globo, e consistia da falsa expedição do documento. A quadrilha, liderada pelo casal de sírios Ali Kamel Issmael e Basema Alasmar, contava com o trabalho sujo de um funcionário de um cartório, Jorge Luiz da Silva, e de um ex-empregado, David dos Santyos Guido. Eles são acusados de falsidade ideológica e associação criminosa.

    O esquema começava com uma folha de um livro cartorário sendo retirada. Uma outra era “colocada” em seu lugar com as informações do estrangeiro. Desta forma, ele suspostamente passava a ser nascido no Brasil ou naturalizado, assim como um brasileiro nato simplesmente “deixava de existir”.

    A Polícia Civil descobriu o crime depois de um funcionário da identificação civil notar que dois pedidos de carteira de identidade possuíam informações muito parecidas e avisou os agentes. As certidões fraudadas tinham a data de registro entre 1960 e 1970 e foram confeccionadas, segundo os investigadores, entre 2012 e 2014.

    Ao todo, 51 sírios obtiveram a carteira de identidade, CPF e título de eleitor. Pelo menos 20 conseguiram tirar passaporte e alguns viajaram para os EUA e para a Europa. O paradeiro deles permanece desconhecido, porém alguns viajam pelo mundo e alguns compartilham textos terroristas e em defesa de Hitler e do Nazismo.

    O Ministério da Justiça informou que pedirá maiores detalhes sobre o caso. Já a Polícia Federal foi oficiada pela Polícia Civil para que cancele os passaportes emitidos a partir da certidão de nascimento falsa. Os sírios Ali Kamel e Besema Alasmar se dizem inocentes.

    Tags:
    falsificação, quadrilha, fraude, terroristas, crime, título de eleitor, CPF, passaporte, carteira de identidade, certidão de nascimento, nazismo, Ministério da Justiça, Polícia Civil, Polícia Federal, Hitler, Síria, Europa, Rio de Janeiro, EUA, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar