20:55 21 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Treinamento de Equipes da Companhia Republicana de Segurança da Polícia Nacional Francesa e do Batalhão de Polícia de Choque da Polícia Militar

    Brasil aceita ajuda da França para combater terrorismo nas Olimpíadas 2016

    Salvador Scofano
    Brasil
    URL curta
    Rio 2016 (253)
    19751310

    O governo brasileiro afirmou que aceitará o apoio oferecido pelo ministro de Assuntos Exteriores e do Desenvolvimento Internacional da França, Laurent Fabius, para garantir a segurança e evitar possíveis ataques terroristas durante os Jogos Olímpicos, que vão acontecer a partir de agosto de 2016, no Rio de Janeiro.

    O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, informou que a França se colocou à disposição tanto para fornecer informações sobre as ações antiterroristas que estão sendo adotadas naquele país, especialmente depois de 13 de novembro, quando ocorreram os últimos ataques em Paris, matando 129 pessoas, quanto para ajudar, com o seu próprio serviço de inteligência, a reduzir os riscos de atentados no Brasil durante o evento esportivo do ano que vem.

    “O Ministro Fabius ofereceu a possibilidade de troca de informações e de experiências do governo francês sobre o caso. E, para o governo brasileiro, (isso) é muito bem-vindo, sobretudo, porque o governo francês já teve a experiência de organizar a Copa do Mundo, já teve também de organizar Olimpíadas de Inverno e muitos outros grandes eventos esportivos e de outras naturezas. Então, a colaboração é sempre bem-vinda, e o governo brasileiro vai ouvir e conhecer os comentários que o governo francês puder oferecer”.

    Em sua passagem por Brasília no último domingo, o chanceler francês, que conversou sobre o assunto também com a Presidenta Dilma Rousseff, alertou que “o que aconteceu em Paris, infelizmente, poderia acontecer em vários países do mundo, uma vez que (grupos terroristas) estão organizados internacionalmente”.

    Durante a reunião de trabalho com Dilma, Fabius agradeceu a solidariedade brasileira em relação aos ataques terroristas na capital francesa e também prestou solidariedade ao Brasil, por conta do desastre ambiental ocorrido em Mariana, em Minas Gerais. Aproveitando para falar também sobre a COP21, conferência sobre mudanças do clima que vai acontecer a partir do dia 30 de novembro, em Paris, ele destacou que o Brasil é referência em negociações e análise de mudanças climáticas, e que é muito importante se alcançar um acordo mundial para conter o aumento da temperatura do planeta. 

    Nesta segunda-feira, teve início em Brasília o Seminário Internacional de Enfrentamento ao Terrorismo no Brasil, que reúne diversos profissionais ligados à inteligência e à segurança dos Jogos Olímpicos de 2016 com o intuito de trocar informações sobre a prevenção ao terrorismo. Organizado pela Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e pelo Ministério Público Militar (MPM), o evento, que segue até o dia 27, conta com ministros, parlamentares, especialistas nacionais e internacionais.

    Uma das principais autoridades internacionais na área de combate ao terrorismo é o diretor do Comitê de Direção Executiva Antiterrorista da ONU (CTED), Jean-Paul Laborde, que vai trazer durante o Seminário detalhes sobre os principais aspectos do terrorismo internacional em um momento de alerta geral, após os últimos atentados em Ancara, Península do Sinai, Beirute e Paris.

    No Rio de Janeiro, a Polícia Militar também está intensificando seus treinamentos para garantir a segurança da população, dos milhares de turistas nacionais e interacionais, dos atletas e das autoridades que estarão presentes nos Jogos de 2016. Até o final da semana, as unidades especializadas da PM vão trocar experiências com a Companhia Republicana de Segurança (CRS), da Polícia Nacional da França. A capacitação começou no dia 16 de novembro, no Batalhão de Polícia de Choque (BPChq).

    De acordo com a coordenação especial de Assuntos Olímpicos, os policiais militares brasileiros, desde 2009, já tiveram a oportunidade de fazer intercâmbios com mais de 80 países, como Espanha, Itália, Estados Unidos, Panamá, Colômbia, Argentina, Portugal, Israel, Alemanha e Inglaterra, além da própria França. Os PMs recebem instruções práticas e teóricas sobre monitoramento e controle de multidões dos diversos países, que vão se somar à experiência já adquirida pelos agentes de Segurança Pública em eventos como a Jornada Mundial da Juventude, a Copa das Confederações e a Copa do Mundo.

    Além da visita de representantes de outros países ao Brasil, o contrário também acontece. Neste ano, policiais militares de unidades especializadas puderam analisar de perto o trabalho de agentes internacionais em eventos como a Maratona de Boston, os Jogos Europeus, no Azerbaijão, e o Mundial de Atletismo, na China.

    Tema:
    Rio 2016 (253)
    Tags:
    segurança, terrorismo, COP21, Jogos Olímpicos, Olimpíadas, Copa do Mundo, CTED, BPChq, Polícia Militar, Abin, ONU, Mauro Vieira, Laurent Fabius, Dilma Rousseff, Jean-Paul Laborde, Turquia, Ancara, Península do Sinai, Egito, Beirute, Israel, Argentina, Panamá, Colômbia, Portugal, Inglaterra, Alemanha, Itália, Paris, Azerbaijão, Boston, EUA, China, Brasília, Brasil, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik