17:03 23 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira
    Antonio Cruz/ Agência Brasil

    Ministra do Ambiente: Momento é de mostrar soluções para diminuir emissões de carbono

    Brasil
    URL curta
    Geórgia Cristhine
    202

    Encontrar soluções para implantar em definitivo uma economia de baixo carbono no mundo, segundo a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, será o foco das discussões da COP 21 – 21.ª Conferência do Clima das Nações Unidas, de 30 de novembro a 11 de dezembro, em Paris, reunindo mais de 190 países.

    Ao participar da abertura da Semana do Clima União Europeia-Brasil: “Clima: Somos Todos Responsáveis”, evento que acontece até sexta-feira, 6, na Fundação Planetário do Rio de Janeiro e é voltado para as mudanças climáticas e as ações que têm sido feitas para amenizar seus efeitos no mundo, a Ministra Izabella Teixeira disse que o momento não é mais de discutir problemas climáticos ou cartas de intenção, mas sim de mostrar resultados.

    “O que Paris significa é uma ambição para um novo rumo de desenvolvimento no mundo”, disse a ministra. “É disso que trata Paris. Nós estamos falando de desenvolvimento, estamos falando de geração de emprego, nós estamos falando de crescimento econômico, estamos falando das relações comerciais, os novos mercados, e fundamentalmente os cursos dos dinheiros, as oportunidades de desenvolvimento e obviamente as oportunidades de parceria, de cooperação.”

    A Presidenta Dilma Rousseff anunciou em setembro deste ano que a meta brasileira é reduzir 37% das emissões de gases do efeito estufa até 2025, e 43% até 2030, com base nos registros de 2005.

    Durante o seminário no Rio, Izabella Teixeira afirmou que as negociações entre Brasil e União Europeia apontam para um final bem-sucedido em Paris, quando se espera que seja firmado um novo acordo global para suavizar as mudanças climáticas e frear o aquecimento global.

    A ministra aproveitou o encontro para cobrar um maior comprometimento por parte dos Estados brasileiros com a transparência sobre os dados referentes ao desmatamento. Algumas das metas que o Brasil vai apresentar em Paris são o fim do desmatamento na Amazônia, a ampliação e a manutenção dos biomas brasileiros e a restauração florestal do país.

    Durante a Conferência em Paris, o Brasil vai ser homenageado por ter desenvolvido métricas e métodos para a compensação do carbono e por ter conseguido neutralizar as emissões durante a Copa do Mundo de 2014.

    De acordo com o comissário da União Europeia para Energia e Clima, Miguel Arias Cañete, o Brasil tem metas ambiciosas para a COP 21. Arias Cañete enfatizou ainda o papel de liderança que o Brasil tem hoje na área ambiental do planeta. Segundo o comissário, a União Europeia está trabalhando para que o acordo durante a COP 21 apresente avanços acima do Protocolo de Kioto.

    “A União Europeia está trabalhando para avançar no acordo, mas não queremos assinar qualquer acordo, queremos um que se resuma em três pontos: corte de 50% nas emissões até 2050; que os países se preparem para implementar as metas que já apresentaram; e saber como os planos nacionais de mitigação das mudanças climáticas serão implementados".

    A Semana do Clima no Planetário do Rio de Janeiro reúne 20 organizações do Brasil e da Europa, trocando experiências e debatendo questões como o uso racional da água e energia, descarte de resíduos sólidos, uso da terra, urbanismo, mobilidade urbana, segurança e clima.

    Tags:
    carbono, meio ambiente, COP21, Miguel Arias Cañete, Dilma Rousseff, Izabella Teixeira, União Europeia, Amazônia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik