08:44 25 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Dilma Rousseff

    Dilma deve receber credencial, recusada no início do ano, do embaixador da Indonésia

    © REUTERS/ Ueslei Marcelino
    Brasil
    URL curta
    513

    Quase nove meses depois da instauração de uma crise diplomática com a Indonésia, após recusa de receber as credenciais do embaixador daquele país, Toto Riyanto, a presidente Dilma Rousseff finalmente deverá reconhecer o novo representante de Jacarta no Brasil.

    Está marcada para quarta-feira, às 11 horas no Palácio do Planalto, a cerimônia de entrega de credenciais de 22 embaixadores e Riyanto está previsto para ser o quarto a entregá-la. A recusa se deu em fevereiro em represália aos pedidos de clemência feitos por Dilma e não aceitos pela presidência da Indonésia para evitar a execução de dois brasileiros condenados por tráfico de drogas.

    Em 20 de fevereiro, Toto Riyanto chegou a ir ao Planalto e seria o primeiro a se apresentar à presidente. Mas Dilma, ao chegar ao Planalto, avisou que não o receberia e que estava adiada a entrega de suas credenciais. Coube ao ministro das Relações Exteriores, embaixador Mauro Vieira, comunicar a decisão de Dilma a Riyanto. Este é um gesto duro em linguagem diplomática. Ao final da cerimônia, em entrevista, Dilma informou que adiou o recebimento das credenciais para aguardar uma decisão do governo indonésio em relação à transferência do brasileiro Rodrigo Gularte para um hospital, o que o livraria da pena de morte, pela legislação daquele país. O presidente indonésio não atendeu aos apelos para evitar a execução dos brasileiros e, diante da recusa da credencial do seu embaixador, chamou-o de volta ao país.

    A lista dos embaixadores que entregarão suas credenciais inclui ainda os representantes do Grão-Ducado do Luxemburgo, da República da Letônia, do Turcomenistão, da República Argelina Democrática e Popular, da Nova Zelândia, das Filipinas, República Dominicana, da Costa Rica, da República do Malaui, da República Popular Democrática da Coreia (Coreia do Norte), República da Coreia (Coreia do Sul), dos Emirados Árabes Unidos, da União Europeia, do Canadá, da República Democrática Socialista do Sri Lanka, da França, da República do Mali, do Egito, do Sudão, da República Gabonesa, e da Eslovênia.

    Mais:

    Anistia Internacional condena execuções na Indonésia
    Indonésia executa brasileiro e outros sete condenados por tráfico
    Tags:
    relações bilaterais, Itamaraty, Dilma Rousseff, Toto Riyanto, Indonésia, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik