13:11 22 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    O ex-presidente Lula, a presidenta da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner e o governador de Buenos Aires, Daniel Osvaldo Scioli

    Daniel Scioli busca apoio de Dilma à sua candidatura à sucessão de Cristina Kirchner

    Ricardo Stuckert/Instituto Lula
    Brasil
    URL curta
    Por ,
    1101
    Nos siga no

    Na reta final de sua campanha, o candidato kirchnerista à Presidência da Argentina, Daniel Scioli, estará em Brasília na terça-feira, 13, para se reunir com a Presidenta Dilma Rousseff. As eleições na Argentina acontecerão no dia 25 de outubro.

    De acordo com a assessoria do candidato de Cristina Kirchner à Casa Rosada, antes de chegar ao Brasil, Scioli vai passar no Uruguai, onde será recebido pelo Presidente Tabaré Vázquez em Montevidéu.

    Daniel Scioli tem percorrido diversos países da América Latina, em especial os da América do Sul, com o objetivo de estreitar relações com os chefes de Estado e de Governo.

    No mês passado, o ex-Presidente Lula visitou o candidato e a Presidente Cristina Kirchner em Buenos Aires.

    Para o professor de História e Relações Internacionais da Unilasalle e da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rafael Araújo, como Daniel Scioli é o favorito para vencer as eleições e suceder Cristina Kirchner, a visita ao Brasil faz parte de um processo para legitimar a sua candidatura com o apoio dos países da América do Sul. 

    “Na realidade, com essa série de visitas ele busca construir  uma legitimidade sul-americana em torno de sua candidatura. A própria visita de Lula a Buenos Aires no início de setembro teve esse caráter, dar um respaldo a Scioli. O ex-Presidente Lula esteve lá juntamente com Evo Morales (presidente da Bolívia), e havia a questão do apoio que Scioli buscou junto a Rafael Correa (presidente do Equador). E agora, na terça-feira, 13, com Dilma, veremos a tentativa de Scioli se afirmar com uma imagem de continuidade em relação ao kirchnerismo, tanto do ponto de vista interno, quanto do ponto de vista internacional.”

    Rafael Araújo também acredita que a visita de Daniel Scioli seja para reforçar a ideia de que, se for eleito, dará continuidade às políticas comerciais externas estabelecidas no Governo de Cristina Kirchner.

    “A visita dele ao Brasil indica uma possível continuidade das diretrizes internacionais da Argentina para a América do Sul, e neste caso a parceria com o Brasil é estratégica e fundamental. De fato, ele tenta com isso mostrar para o eleitor argentino que ele, enquanto candidato oficial, não só tem o respaldo dos vizinhos sul-americanos mas vai continuar com as diretrizes políticas que Cristina e Nestor Kirchner estabeleceram no âmbito internacional.”

    O Professor Rafael Araújo estima que Daniel Scioli deverá realmente ser o vencedor das eleições à Presidência da Argentina. A única dúvida é se ele já vai sair vitorioso no primeiro turno, que é o que Scioli está tentando garantir com essas visitas e participações em eventos, ou só no segundo, em novembro. O maior adversário de Scioli é até o momento o empresário e político de centro-direita Mauricio Macri, chefe do Governo de Buenos Aires.

    Mais:

    Argentina: BRICS é vítima de crise financeira
    Gazprom e YPF Energy assinam acordo sobre exploração conjunta na Argentina
    Buenos Aires não permitirá que EUA “roubem” cidadãos da Argentina
    Argentina: descoberta a filha de desaparecidos da ditadura após quase 40 anos
    Tags:
    apoio político, eleições, eleições na Argentina, Daniel Scioli, Rafael Araújo, Cristina Kirchner, Dilma Rousseff, América do Sul, Argentina, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar